Neuroarquitetura aplicada em Ação Social

A pesquisa e o conhecimento adquirido só faz sentido, se sentido. Se colocado em prática, mesmo que seja de forma simples, com investimentos tímidos, porém grandioso em efeito. Com status de ação social, a forma de cuidar, pode contar com alguns saberes em neuroarquitetura, neurociência aplicada a arquitetura.

O grupo de estudos voluntário de neurociência aplicada à arquitetura de Porto Alegre, que recebeu o nome de “NeuroArq Studies” e é incentivado pelo NeuroArq Academy (Academia Brasileira de Neurociência e Arquitetura), reuniu especialistas nas áreas de arquitetura, urbanismo e designer de interiores, para criar projetos de neuroarquitetura (neurociência aplicada à arquitetura) para quatro áreas do Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Envolvidos em intervenções de neuroarquitetura em áreas de descompressão para hospitais há cerca de um ano, esse grupo de arquitetos enfrentava certa resistência em apresentar ideias inovadoras como essas. No atual cenário da pandemia do Coronavírus (Covid-19), a abertura para projetos que possam ajudar no estado emocional desses profissionais da saúde tem sido muito mais receptiva. Além disso, a neurociência aliada à arquitetura visa levar momentos de relaxamento, bem-estar e qualidade de vida em meio a uma situação delicada de pandemia.

O projeto foi desenvolvido por especialistas voluntários do grupo de estudos, são eles:

@julianaenderle @lunnimais @voxearquitetura @arq.priscilla.bencke @designbiofilico @arq._gabi_sartori @inn.arquitetura @andrea_seligman @sandra.marlise @arq.brunagonino @lubiancaarquitetos @isa3ela @arq.jessica_carbone @cristottiarquitetura @stelagudolle.arq @marianahomme.arquitetura @paulazampivatigre@adrididone @casa.de.raiz  @p.o.d.projetos

Tal projeto não sairia do papel, sem os PARCEIROS que contribuíram com equipamentos e mobílias:

  1. BDS BREATH DESIGN & STRATEGY @bds.is
  2. BENCKE CONSTRUÇÕES @bencke.arq.const
  3. BRILIA @brilialed
  4. CASA TENDENZA @casa_tendenza
  5. DIVULG @divulgdecora
  6. DUO ARQUITETURA @duoarquiteturadesign
  7. ECOTELHADO @ecotelhadobrasil
  8. ERICK CITRON @erick_citron
  9. FANCOLOR BRASIL @fancolorbrasil
  10. FINATTO DISTRIBUIDOR OFICIAL @finatto.distribuidor.oficial
  11. IUMMI @iummioficial
  12. LUCAS ANÃO @lucasanao
  13. LUXION @luxion
  14. MADESA @madesamoveis
  15. MARELLI  @marellioficial
  16. MICUADRADO @micuadrado
  17. MULHER EM CONSTRUÇÃO – mulheremconstrucao_oficial
  18. NEUROARQ ACADEMY @neuroarq_academy
  19. PROALOE @proaloefragrances
  20. QUALIDADE CORPORATIVA @qualidade.corporativa
  21. RIVATTI MOVEIS @rivattimoveis
  22. SCHWALM DECORAÇÕES @schwalmdecoracoes
  23. SENSOLO MARCENARIA @sensolopoa
  24. STILO ELEVATO @stiloelevatonilo
  25. TINTAS ALESSI  @tintasalessi

De que forma o projeto pode contribuir com a saúde destes profissionais?

Segundo Priscilla Bencke, especialista em neurociência aplicada à arquitetura, ficar por longos períodos dentro do hospital, e por ser um ambiente muito fechado, faz com que as pessoas não percebam o passar do dia. Com isso, elas se desconectam do relógio biológico impactando diretamente na produtividade e na saúde.

“Quase todo hospital costuma reservar áreas inutilizadas para os profissionais dormirem e relaxarem. Nem sempre esses ambientes são preparados para oferecer conforto e bem-estar. Os profissionais que vão ser beneficiados com nosso projeto no Hospital Cristo Redentor estão na linha de frente de atendimento aos pacientes da pandemia do Coronavírus, o Covid-19. O estado ios parentes de quem eles atendem. Nós queremos criar com esses ambientes características físicas completamente diferentes de um hospital. Para que sintam um alívio nesse espaço e possam se desconectar do ambiente físico por alguns minutos, nos intervalos, esquecendo que estão nesse caos todo”, explica Priscilla.

Outro ponto relevante é a utilização de elementos naturais para humanizar o ambiente hospitalar. Uma pesquisa realizada pela “Human Spaces” comprova que o contato com a vegetação melhora em 15% a sensação de bem-estar das pessoas. “São quatro espaços remodelados para os profissionais na ala da enfermagem. Vamos ganhar grafismos e a presença de vegetação também”, conclui a designer Juliana Enderle.

Além disso, a mudança na cor das paredes nessas salas de descompressão no Hospital Cristo Redentor foi um fator estratégico porque o nosso cérebro trabalha muito por associação. “Uma pessoa que sempre trabalhou num ambiente branco, o cérebro dela vai associar essa cor ao trabalho. E como queremos que relaxem, se desconectem, não poderíamos manter o branco. O impacto das cores varia muito de pessoa para pessoa porque depende das memórias e experiências que cada um tem com as tonalidades. A utilização de outras cores, de revestimentos de madeira e de painéis com imagens, que remetem à natureza, podem trazer muito benefícios””, detalha Priscilla Bencke.

A coordenação dos trabalhos está sendo realizada pela embaixadora Juliana Enderle em parceria com as co-fundadoras da NeuroArq Academy, Priscilla Bencke e Gabriela Sartori, estas que são precursoras da neuroarquitetura na América Latina.

Nós fizemos parte deste projeto. Nós queremos promover a arquitetura colaborativa com impacto positivo.

Esta ação é um agradecimento e um carinho aos enfermeiros do Hospital Cristo redentor, representando todos os profissionais envolvidos no combate ao Covid-19.  Foto: Priscilla Bencke

Grupo de Estudos em Neuroarquitetura de Porto Alegre – NeuroArq Studies

Foto de Capa: Arquiteta e Fotógrafa integrante do grupo, Andrea Seligman

Assista o vídeo: por Priscilla Bencke

 

 

Compartilhar

Comments

comments

Escrito por
Mais conteúdo de Hellen Fírmìno

Seja Lupa e descubra este espaço criativo na Casacor RS

Olá seguidores, Mostraremos para vocês hoje o Pátio do Músico , como...
Saiba Mais