Ibanez Razzera e a Importância do Design

Brasilidade e Originalidade

Há quase 30 anos, quando o Brasil despertou para a importância do design, Ibanez Razzera já vinha há algum tempo tentando educar o mercado para a necessidade de implementar ideias originais e usáveis no mobiliário brasileiro. E, de lá para cá, não tem feito outra coisa que não seja design.Arquiteto por formação, Ibanez já foi dono e comandou uma fábrica de móveis, professor universitário e, com a ascensão do design nacional, enveredou para a carreira de designer de produtos e nunca mais parou. Ele conta que a escolha pela arquitetura já apontava uma preferência: o gosto pelo desenho que o levaria até o desenvolvimento de  produtos.  “Sempre gostei de desenhar e acompanhei toda esta evolução dentro do setor de mobiliário. Algumas vezes, confesso, com certa vontade de acelerar o processo. Meu radar sempre esteve voltado às peças com pegada contemporânea, original, moderna, mas à época o mercado não queria saber, não aceitava. Quase todas tinha o desenho mais clássico ou eram cópia de design italiano. Quando a internet desponta nos lares brasileiros, as novelas começam a apresentar cenários originais e criativos e as revistas estrangeiras ficam mais acessíveis no país, o consumidor muda de comportamento obrigando a indústria a acompanhar esta evolução”, pontuou.A partir daí, ele conta, a grande indústria começa a apostar, de fato, na brasilidade e originalidade que faltava ao mobiliário brasileiro. E, para validar esta nova era, passa a apresentar coleções assinadas. Entre elas, as criadas por Ibanez Razzera – reconhecidas pela elegância, beleza e design sofisticado; peças que, acima da aplicabilidade, definem um conceito , um estilo de vida e transformam o cotidiano. Além da Modalle, Razzera desenvolve peças e mobiliário para mais outras duas marcas nacionais de mobiliário, principalmente de áreas externas. Sua inspiração? A natureza! “Eu amo estar em meio ao verde, moro numa chácara e gosto desse convívio. Minha casa é toda aberta para a mata. Então, meu desenho no design ou na arquitetura sempre vai remeter a esta ligação, luminosidade e cenário que encontro na natureza,” explicou.Mas para quem pensa que o seu processo de criação envolve pura abstração e inspiração, o designer encerrou a conversa com uma adaptação da conhecida frase do inventor Thomas Edison: para conceber um produto belo, funcional e que tenha aceitação não é tarefa das mais fáceis. Envolve muito esforço, resiliência, estudo e conhecimento de mercado. ” É 10% inspiração e 90% de transpiração”, finalizou o arquiteto.

E foi para falar desta experiência na arte de unir beleza e funcionalidade em móveis e objetos que cria para a Modalle, que foi o convidado para fechar a edição do ano do Conexões Masotti Floripa.

Fotos: Fernando Willadino

Compartilhar

Comments

comments

Escrito por
Mais conteúdo de Hellen Fírmìno

Resumo das tendências Expo Revestir

Olá seguidores! Hoje vou falar sobre o legado de uma feira de...
Saiba Mais