Conheça aqui,19 ambientes da Casacor Rio 2021

Flexibilidade, natureza, mistura e jeito carioca de morar.

Eu sempre tenho muito prazer em apresentar a Casacor Rio. Já visitei e me surpreendi, pelo envolvimento sensorial que causa. É a casacor mais cheia de bossa! Este ano é a primeira a abrir suas portas, em formato híbrido, com visitas presenciais e digitais. No meio digital, eu já adianto aqui, os ambientes que abrem as portas amanhã na cidade maravilhosa, e fica até o dia 25 de abril de 2021. Nesta edição híbrida, a mostra conta com uma versão
presencial, com foco na experiência de visita à casa: um palacete icônico no Jardim Botânico rodeado por 12 mil m² de Mata Atlântica. E uma versão digital que privilegia novos formatos ampliando ainda mais seu público, que mesmo à distância, pode explorar cada cantinho dos 38 ambientes – entre espaços, pátios e jardins – em um guia digital com vídeos interativos e tours 3D.

Para expor as tendências, a curadoria criou um roteiro que se sustenta em algumas vertentes como: Espaços flexíveis e multifuncionais, a valorização da natureza (dentro de casa ou ao ar livre), interferências modernas, tudo junto e misturado, e claro, o jeito carioca de morar. Curiosos? Seguem 19 ambientes, com fotos de André Nazareth.

Loja da Casa – Ana Cano Milman
Em meio ao verde do jardim, tem uma casa. Que é também uma loja. Mas, não espere ver simplesmente produtos expostos. Com estar, jantar e varanda gourmet, o espaço reproduz ambientes prontos para receber os amigos de
forma aconchegante. O décor é suave com a predominância dos tons rosé e verde – que aparece também em toda a natureza do entorno – e da madeira. O uso de placas cimentícias nas paredes e no piso formam uma base neutra e dão o toque contemporâneo ao espaço.

Biblioteca – Andréa Chicharo Arquitetura Sancas, vitrais, portas, piso. Boa parte da estrutura da biblioteca foi mantida exatamente como era originalmente. Até mesmo a estante do ambiente já estava ali. Mas, o móvel foi renovado e ganhou nichos acobreados além de uma
cor clara – a mesma da parede – para trazer leveza ao ambiente. Tudo para atender às necessidades de uma casa do século XXI repleta de detalhes arquitetônicos típicos do século XIX. O mobiliário, assinado por grandes nomes
do design nacional, traz elementos contemporâneos que contrastam com o charme clássico da casa num mix de estilos que é a cara desta edição.

Cozinha dos Amigos – Anna Malta e Andréa Duarte A metragem generosa (80m²) e ambientação de estar transformam essa cozinha no coração da casa – como em toda casa brasileira, com certeza. Ali, os amigos papeiam, preparam comes e bebes, se divertem. Tudo numa atmosfera que mistura os recursos tecnológicos do século XXI com a beleza dos elementos arquitetônicos originais da casa, como azulejos portugueses e piso, que foram mantidos. O hall, aliás, não sofreu qualquer interferência. Justamente para que os visitantes possam apreciar um pedacinho da residência como ele sempre foi. Não deixe de olhar com atenção os objetos usados aqui. Boa parte deles são também do acervo da casa.

Sala de Banho Deca – Beto Figueiredo e Luiz Eduardo AlmeidaAzulejaria portuguesa, banheira de mármore que teria pertencido à Imperatriz Teresa Cristina, áreas reservadas. O principal banheiro da casa era pura sofisticação. Mas ganhou descontração com interferências contemporâneas e
uma grande árvore plantada bem no centro do espaço. Circundada por uma pia desenvolvida pelos arquitetos e executada pela Deca, a jabuticabeira traz a natureza para o interior do cômodo e brinca com o ciclo da vida, já que a água – que parece sair do tronco – é também reusada para sua irrigação. No décor, poucos elementos ajudam a transformar o ambiente clássico em uma Sala de Banho contemporânea e sustentável.

Sala de Almoço e Varanda – Chicô GouvêaTirando partido das características originais do imóvel, como sancas, alisares e pé-direito alto, o arquiteto traz todo seu colorido e mix de peças de diferentes estilos para criar uma sala de almoço repleta de brasilidade. Móveis desenhados por Chicô, como a mesa e o aparador, ganham a companhia de cadeiras de Sérgio Rodrigues e bancos indígenas. A arte também ganha destaque nas gravuras de Frans Post, tela de Esther Bonder, além de três esculturas de Frans Krajcberg – uma homenagem póstuma do arquiteto ao amigo.

Atrium – Cynthia Berlandez Pedrosa e Raphael Pedrosa ZayO antigo porte-cochère da casa ganhou ambientação casual chic com toques tropicais e o uso de materiais naturais como fibras e palha. Pensado como uma varanda intimista em que se pudesse aproveitar a bela vista para os amplos
jardins da residência, o ambiente privilegia o conforto. Mas abre espaço também para a arte como na parede pintada pela artista plástica Bel Magalhães e nas esculturas de Gabriela Eczurra, selecionadas para dialogar com o entorno
natural da casa.

Jardim Secreto – Diego Raposo e Manu SimasNum cantinho charmoso que mais parece um jardim secreto, uma instalação efêmera traz uma proposta ousada e facilmente replicável. Ali, dois iglus infláveis, de plástico, servem como verdadeiros refúgios portáteis idealizados para propiciar uma maior conexão com a natureza, criando um espaço dedicado à contemplação. Construído de forma sustentável, sem causar qualquer intervenção em seu entorno, o ambiente tem decoração contemporânea com
poucos móveis que valorizam ainda mais a integração com o jardim externo.

Lavabo e Galeria – Estúdio Manu+Ca Manu Cardim + Catarina Gouvea

O décor é atual, mas com um olhar todo especial para o passado. Além de deixar quase sem interferências detalhes arquitetônicos originais da casa como o teto desenhado do hall e a azulejaria do banheiro, a dupla de designers ainda
apostou em releituras de peças antigas brincando com estilos e épocas. É o caso do muxarabi usado no lavabo, que ganhou ainda metais rosé gold da Deca (no lugar do clássico dourado) e, também, do oratório. A peça, criada pelo arquiteto Dado Castello Branco, é supercontemporânea, mas faz uma referência à história da casa e seus proprietários que mantiveram ali, por anos, um riquíssimo acervo de peças sacras (especialmente do barroco brasileiro).

Living Mutante – Gisele Taranto ArquiteturaUm espaço voltado ao encontro da arquitetura com a arte e o pensamento, onde tudo é – ou pode ser – mutante e mutável. Uma resposta à necessidade –intensificada em tempos de extensa permanência em casa – de ter espaços
flexíveis e facilmente modificáveis quando preciso. Um living com ares de galeria em que a troca das obras de arte ajuda a transformar o ambiente. Só uma coisa aqui permanece. Os móveis. Clássicos do design assinados por Sérgio
Rodrigues, Lina Bo Bardi, Oscar Niemeyer. Para sempre, uma ótima escolha.

Pátio da Escultura – Ivan Rezende ArquiteturaContemplar. Contemplar. Contemplar. São muitos os ambientes e locais propícios para o simples ato de se deixar ficar e apreciar a natureza nessa CASACOR Rio. Mas aqui, nesse ambiente a céu aberto pensado para privilegiar a
convivência entre os visitantes, a contemplação faz ainda mais sentido. Com uma arquitetura provocante, o espaço funciona quase como um mirante de onde se podem ver outros ambientes da mostra. O mix de materiais também
surpreende. Há de compensado naval – usado em placas que “protegem” a estátua Caridade – ao mármore Kilimanjaro, uma pedra supertecnológica que está sendo lançada na mostra.

Espaço III Pequena Sala de Estudos – Lia, Felipe e Betina Siqueira Nos 30 anos da CASACOR Rio, Lia Siqueira homenageia nossa primeira edição batizando o espaço que faz em parceria com os filhos com o mesmo nome de seu ambiente na mostra de 1991. Solar com janelas generosas e pé-direito alto, o ambiente tira proveito de suas características originais e aposta no branco tanto como rebatedor da luz natural quanto para trazer frescor, sossego e simplicidade, características tão presentes no morar carioca. O mobiliário e a marcenaria – criações exclusivas de Lia – apostam em materiais naturais que dialogam com o piso em pedras de cantaria e com os belos jardins – tão visíveis pelas janelas que parecem preencher o ambiente.

Café – Lucilla Pessoa de Queiroz e Renata Caiafa Quintanilha Com ambiente lúdico, o Café foi pensado para provocar sensações. Se o cheirinho da bebida já é um convite para o espaço, o uso inusitado de utensílios típicos do ritual de um bom cafezinho promete surpreender os visitantes. No
mobiliário, o ferro e a madeira predominam nas peças criadas pelas arquitetas exclusivamente para o ambiente. Mas há ainda móveis contemporâneos de área externa e criações de Sérgio Rodrigues. Completando o clima, as lindas
cerâmicas de Denise Stewart em instalações divertidas.

CASA Bistrô – Maurício NóbregaNo espaço antes reservado à garagem da residência, numa área recuada de seu amplo jardim, o restaurante traz um mix de peças de estilos diversos – muitas delas encontradas na própria casa e sem uso há anos – num verdadeiro put
together cheio de charme. O uso de plantas como divisórias e a manutenção de revestimentos como os antigos azulejos do espaço trazem ainda mais personalidade ao ambiente. O mobiliário privilegia mesas grandes e espaçosas
que possibilitam o distanciamento até mesmo entre pessoas de um mesmo grupo (familiar ou de amigos).

Sala do Piano – Luiz Fernando Grabowsky

O mobiliário da Sala do Piano faz um passeio por diferentes épocas com um mix do que melhor se produziu no design nacional. Tem uma grande cômoda D. José do século XIX, original da casa e aproveitada pelo arquiteto para reforçar ainda mais o contraste do antigo com o novo em seu espaço; tem móveis contemporâneos como a estante Icon, de Jader Almeida, repaginada para o ambiente; e tem reedições de peças do modernista Jorge Zalszupin. Tudo isso num ambiente dedicado à música, graças ao piano ali residente (desde sempre), e ao estar.

Quarto do Casal – Paola RibeiroNo quarto que por anos abrigou a antiga proprietária da casa, a inspiração é feminina. Todas as obras de arte são de mulheres e o espaço foi pensado como um oásis dentro da ampla residência. Ali, o casal tem um pequeno espaço de
trabalho, um quarto sofisticado que tira proveito da vista para os jardins, além de muitas estantes que aproveitam os antigos armários existentes na casa – todos modernizados e revitalizados. O mobiliário contemporâneo – em parte
assinado por Paola em parceira com Maria Cândida Machado – contrasta com os ricos detalhes arquitetônicos da casa e ajuda a criar um estilo casual-chic.

Terraço NM – Estúdio Design Noel Marinho por Patricia Marinho, Manuèle Colas, Heloísa
Amaral Peixoto e Carolina CascardoUm espaço iluminado pelo céu carioca, totalmente integrado aos jardins e repleto de peças que trazem a marca inconfundível de Noel Marinho, arquiteto expoente do modernismo que deixou incríveis criações em azulejaria. No terraço que leva as iniciais de seu nome, muitas novidades: peças para área externa desenhadas pela filha Patrícia durante a quarentena usando alguns de seus azulejos. O resultado é um ambiente em que arte e design, moderno,
contemporâneo e antigo se complementam de forma harmônica. A cara do Rio.

Hall de Entrada – Rodrigo Jorge StudioPorta de entrada para a casa principal, o ambiente traz a sofisticação e o esplendor de seus tempos áureos. O décor é clássico com direito a teto dourado, paredes num tom grafite quase preto, além de peças dos anos 1950 e 1960 e muitas obras de arte de grandes nomes: Picasso, Portinari, Franz Krajcberg. Esculturas de crianças aparecem em diferentes pontos do espaço representando a geração do futuro que poderá visitar o Instituto Brando Barbosa – que será criado no local após a CASACOR Rio. Um ambiente homenagem aos antigos proprietários e a seu amor pela arte.

Empório Cooking 2 Go – Tiago FreireCom decoração inspirada nas antigas mercearias de bairro, o espaço vende comidinhas e belisquetes criados pelo Cooking Buffet para serem consumidos em qualquer lugar. Pode ser no jardim, como num piquenique, em casa ou até mesmo por ali, na área externa. Localizado na antiga oficina da casa, o ambiente traz as marcas do tempo nas paredes descascadas com tijolinhos aparentes e em peças que já pertenciam ao espaço como o antigo tanque e a azulejaria, que foram restaurados. Mas ganha ares contemporâneos com o mobiliário em marcenaria e serralheria criados pelo arquiteto especialmente para a mostra.

#Pergolando – Victor NiskierA necessidade (sanitária) de criar fluxos separados para a entrada e saída da residência impôs novos desafios para a nossa recepção. A solução foi criar uma arquitetura fluida com dois pergolados que se comunicam visualmente, mas não fisicamente, e criam áreas diversas para quem chega ou se despede. Na entrada, a obrigatoriedade de higienização foi resolvida por uma espécie de fonte – criada a partir de pias de piso da Deca – em um espelho d’água. Já na saída, um estar em meio ao bambuzal serve como um último espaço de contemplação e faz também uma homenagem aos antigos proprietários da casa, expondo parte das cartas de amor trocadas pelo casal.

Linda de viver!

Acesse o tour virtual no link: https://casacor.abril.com.br/mostras/rio-de-janeiro/

Compartilhar

Comments

comments

Escrito por
Mais conteúdo de Hellen Fírmìno

Luminária Tatu

Com visual despojado, Tatu se destaca por sua versatilidade. Seu corpo mecânico...
Saiba Mais