As Necessidades Mudaram

Eu desejei nos últimos dois anos, que todos entendessem o impacto da arquitetura em suas vidas. Não imaginava que chegaríamos ao extremo para experienciar tal impacto.

A pandemia, gerou um isolamento, que por sua vez, uma provocação ao autoconhecimento na maioria das pessoas. Inclusive em mim. Mesmo estando conectada na casa, como profissão e como curadora de conteúdo, e militante da forma sensorial de ver a casa, fui impactada pelos 70 dias convivendo com minha casa, afetos e minhas escolhas.

Com visão de futuro, não seremos os mesmos e nossas escolhas possivelmente também serão outras.

Surgiram novos hábitos, valorizamos a funcionalidade, o conforto e o bem-estar. Que sonho realizado!

Revalorizamos a casa e estamos tendo a oportunidade de olhar com honestidade para o íntimo, buscando o equilíbrio entre essencial e o ideal, para o novo que fluirá daqui para frente, conosco transformados após esta super conexão. Mais conscientes, no presente, buscaremos sim, saber sobre impactos que causamos no mundo.

E agora, como ficam as casas? Bem, sempre com o olhar que compartilhamos aqui nesta curadoria, eu penso que as casas, mais do que antes, será um porto, um ponto de conexão conosco, para que sejamos restaurados ao final de cada dia. Ela deverá ser uma conexão com tudo que somos, e queremos da vida.

Acredito que o aconchego, a praticidade e a reconexão com a natureza, serão pontos fortes a serem perseguidos nos novos projetos de arquitetura. Seja com a introdução de vegetações, materiais, peças brutas, e até aromas naturais. O olhar mais genuíno, foi inevitável no confinamento. A busca por nós, guiou esta viagem. E não queremos mais perdê-la, pois entendemos o seu valor como referência de nós mesmos.

O consumo também muda. Por questões econômicas, e por valores. Não monetários, mas aqueles referentes a nós. Mais perguntas faremos ao consumir. Seremos conscientes e vigilantes. Pensaremos no impacto. Sim, entendemos que afetar, é uma ação que impacta ao outro e ao meio. Que por sua vez me impacta também. Entendendo a cadeia, o ciclo e nós como agentes deste todo. Logo devemos consumir melhor, menos e com muito mais segurança na assertividade.

Na arquitetura este consumo cuidadoso, deve abranger também a contratação de projetos que valorizem este cenário. O usuário como protagonista no processo, e o profissional com a expertise para auxiliá-lo na jornada.

Uma nova era está em construção, e junto dela uma nova forma de morar e consumir arquitetura. Embasado no processo de crescimento que passamos nos últimos dias. Valiosos, serviram para nos guiar daqui pra frente.

Que se desenhem bons projetos. Que se construam casas melhores.

E assim uma humanidade feliz.

#casaderaiz #casadegentefeliz

Compartilhar

Comments

comments

Escrito por
Mais conteúdo de Hellen Fírmìno

Mostra Elite Design – Ambientes 11 ao 20

Olá seguidores, continuando nossa aventura pela Mostra Elite Design, hoje eu mostro...
Saiba Mais