Ambientes afetivos

Olá seguidores, aproveitando novamente um tema apresentado na Casacor SC, vamos falar da afetividade na concepção dos espaços.

O afeto na arquitetura de interiores

Eu gosto muito desse tema, inclusive é proposto diariamente em nossas postagens no @casa.de.raiz . Trazer um olhar mais profundo para os ambientes, é uma forma de projetar o afeto.

Os ambientes afetivos, acolhem as pessoas, passam a sensação de pertencimento ao espaço, tornando assim mais agradável a sua permanência e uso do mesmo. Para isso um olhar para dentro, um exame, um diagnóstico deve ser feito minunciosamente pelo profissional envolvido com a criação.

Essa se apropria de processos mentais do comportamento humano e de suas interações com o ambiente físico e social, buscando personalizar e revelar a identidade do morador, além de materializar seus desejos. A arquitetura afetiva promove mudanças, avanços e melhorias, algo que vai projetar o cliente para o que ele quer ser, fazer, e viver. Sendo assim ela pode ser considerada um resgate do que somos, para compor o que desejamos.

Na cozinha com afeto, apresentada por Theiss Girardi Arquitetura, o resgate é justamente de criar uma nova relação com o alimento, melhorando a partir do espaço criado, a manipulação e a preparação da comida, além de promover encontros entre as pessoas que amamos. Achei bárbaro! O afeto, como premissa do projeto, resultando um ambiente além de funcional, afetivo, convidativo e encantador, afinal a arquitetura está à serviço das pessoas.

Vamos ver as fotos dessa cozinha cheia de afeto?  Por Mariana Boro

Trouxemos o exemplo desse projeto para tocar num assunto contemporâneo. O resgate de nós mesmos, criando projetos únicos, com identidade. Pela necessidade de nos reconhecer, diante desse mundo globalizado, imenso.

“Para que não te percas, te encontre na tua casa”.

#casaderaiz #afeto #arquiteturadeinteriores

Casa latente, com muito design – Casa Ocra

Olá seguidores, o nosso blog traz posts com casas de raízes, ou raiz. Aquelas com alma e latentes. Então eis aqui, na nossa humilde opinião, aquela que retratou a vida acontecendo, nesta edição da Casacor RS, a Casa Ocra.

Eu moraria ali. Tem construção simples, é aquele projeto que te diz: entra e faz o que tu quiser. Claro que daí um bom projeto de interiores é necessário…Mas lá está! Assinado pelo designer de interiores Juarez Cruz, a casa ocra, permite a vida cotidiana com praticidade, sem descuidar dos detalhes. Juka utilizou mobiliário solto, com a possibilidade de vários designers serem contemplados no espaço.  No estar, a base é de encher os olhos. O tapete centenário, conta várias histórias, que também estão presentes no movimento da manta, do fogo, da arte e os detalhes que remetem vida no ambiente.

Na bancada da cozinha, as marcas do uso e do tempo, me encantou. A atenção de mostrá-las em Casacor, me surpreendeu.

Os tons, a iluminação, o movimento da cortina, o cheiro, a playlist, e o aconchego é um convite para viver ali. O projeto de uma casa de verdade, simples na concepção, mas carregada de significados, que conectam os visitantes, através dos sentidos, e os convidam para morar e amar aquele lugar.

Vejam as fotos da Casa Ocra por Marcelo Donadussi:

Nós, do Casa de Raiz, valorizamos projetos assim! Aqueles que nas suas entrelinhas denotam a vida acontecendo…casas de morar, de ficar e de se conectar uns aos outros. Uma casa viva, latente, pulsante…um lar.

Por mais projeto assim em mostras.

Se eles acontecerem, estarão por aqui.

#casaderaiz #casaviva #casacorrs #casacor #arquitetura

#arquiteturadeinteriores #design

Seja Lupa e descubra este espaço criativo na Casacor RS

Olá seguidores,

Mostraremos para vocês hoje o Pátio do Músico , como um dos ambientes da Casacor RS que nos encantou. O conceito materializado no projeto, foi o ponto do nosso encantamento. Durante o percurso, ao sair do café, vejo o profissional apresentando o seu espaço. Logo me identifiquei. Lembrei de quando eu ficava nos meus ambientes na mostra, verbalizando todo o meu pensar através do conceito que criara, para que todos entendessem o projeto e cada detalhes nele lapidado.  O Lupa Multistudio faz sua estréia na mostra, com um projeto de área externa, que parte do desenho do símbolo shuffle, utilizado nos aplicativos de música. Segundo o arquiteto Lucas Prates, o símbolo remete aleatoriedade, versatilidade, multi função, descontração e interatividade.

O traçado segue linhas e combinações que justificam a simbologia shuffle, através das cores e iluminação o movimento, a descontração e dinamismo para o ambiente.

A sustentabilidade está presente em alguns usos como o painel solar para aquecimento dos bancos, espelho da água para climatização em dias secos. Assim funciona para a natureza presente, a brutalidade dos materiais escolhidos, a sustentabilidade e versatilidade de uso no espaço que remetem todo o conceito de “CASA VIVA”, segundo Lucas. Ele também acredita que o paisagismo vai muito além de pensarmos em um único uso, paisagismo é criar uma rotina viva e versátil fora da “caixa casa”.

Tudo se justifica. O traçado nos leva. O verde veste o espaço elaborado. Um ambiente externo que acolhe. A sustentabilidade do espaço está garantida, nas especificações dos materiais. Vejo arquitetura, vejo compromisso, vejo arquiteto envolvido em criar um conceito que mostre o seu pensar. Isto é estar em uma mostra, e se projetar através da sua criação.

Fotos: Edu Defferrari

A Lupa nesse caso é só para não perder nenhum detalhe. Vale a visita e sentir este espaço. Por mais ambientes assim em mostra.

Por isso faço questão em tê-lo aqui…um projeto de raiz.

#casacor #casacorrs #casaviva #arquiteturadeinteriores 

Especial Casacor SP – Marcelo Salum – Ambiente com muita bossa, que nos encantou.

Olá seguidores, a Casacor SP está chegando ao fim. Depois de mostrar alguns ambientes que marcaram a volta e a estréia de profissionais na mostra, hoje vamos dar foco a um ambiente que mais nos encantou desde a abertura até a nossa visitação na semana passada. Ah,…o ambiente ficou em segundo lugar na premiação da mostra.

Tive a a oportunidade de visitar o ambiente de Marcelo Salum na Casacor Florianópolis no ano passado, “Mar sonoro, mar sem fim”, eleito o ambiente conceito da mostra. E o arquiteto sabe conceituar, e materializar o conceito com maestria. Ele encanta mesmo!

Para o ambiente de estréia, uma sutil homenagem à cidade que acolhe tantos brasileiros. É uma espécie de pedido de licença para entrar nessa grande e poderosa metrópole. O loft de 60m2 batizado de “Alguma coisa acontece mo meu coração…” É um espaço multiuso que aproveita a arquitetura da área, adequando-se como um recém chegado à São Paulo.

Os detalhes, a arte, as imagens, os bordados, definem os moradores que habitam a cidade. Assim como as cores que também seguem uma lógica: tons de cinza predominam pelo espaço, enquanto metade das paredes e teto ganharam um tom verde. ” É como um pedido de mais oxigênio para a cidade”.

As raízes impressas nesse ambiente, demarcam o território na metrópole, e assim deve ser em todas as habitações. O arquiteto imprime poesia, bossa e personalidade sem clichês. Os projetos de Salum, tem sempre um mix de texturas e detalhes que denotam alguém. Sempre tem alma ali.

Veja as imagens de Evelyn Müller

A riqueza de detalhes, com a simplicidade dos sentimentos e marcas de cada um no espaço. Gostamos muito! O ambiente com mobiliário solto, de muita personalidade garimpados para representar o conceito.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #casaviva #temraiz

Especial Casacor SP por Debora Aguiar

Olá seguidores,… hoje apresentamos mais um ambiente especial da Casacor SP.  Mais uma referência de tendências e jeito de morar para se inspirar. O ambiente assinado por Debora Aguiar de 1.100m2 marca a sua volta à mostra, com a Casa Cosentino.

Inspirada na contemplação dos quatro elementos da natureza, a arquiteta projetou uma casa urbana, para um casal antenado e amante das artes, que tem como proposta levar a natureza de fora para dentro dos espaços, sem frenteiras entre o in e o out. O ambiente é um refúgio sofisticado e exuberante que materializa o conceito ” A Casa Viva“.

Projetada com todos ambientes que compõe uma casa completa, na área externa, traz um grandioso jardim com piscina, e áreas para descanso e contemplação. Tudo é integrado e permite tanto a convivência como também a privacidade. ” Toda a circulação e integração dos espaços estão voltados para o jardim, favorecendo muito a luz natural abundante e levando o verde para dentro dos ambientes. Essa transparência junto à natureza é o que busco em meus projetos para trazer aconchego e bem-estar”, diz a arquiteta.

Vamos descobrir tudo através das fotos de Marco Antonio:

A noite…

Debora Aguiar projetou um espaço sofisticado e atemporal, com materiais nobres, nos tons que contempla habitualmente em seus projetos.  A casa viva de luxo, a tendência! Onde os materiais naturais que remetem o aconchego foram protagonista, valorizando o morar bem com requinte.

Podemos dizer que esse é o luxo atual. Um luxo para se viver.

#casaderaiz #casaviva #arquiteturadeinteriores #luxo #gentefeliz

O TEMPO é a raiz da Sala Toki por Juliana Pippi para Casacor SP

Olá seguidores, hoje apresentamos um ambiente que se propõe a ser um refúgio do caos externo, proporcionando um clima propício para se reconectar com o tempo e consigo mesmo. Este é o espaço de estréia da arquiteta Juliana Pippi na edição paulista da Casacor.

“És um senhor tão bonito/Quanto a cara do meu filho/ Tempo, tempo, tempo, tempo…/ És um dos deuses mais lindos.” Os versos de Caetano Veloso em sua “Oração ao Tempo” embalam a verve criativa da arquiteta. E foi o próprio tempo, senhor de todas as coisas e autenticador de todas as qualidades, materializado na proposta, uma leitura panorâmica tanto do tempo enquanto passagem cronológica, quanto da metáfora de seu aproveitamento e da angústia pela sua falta. “São Paulo, que é um dos maiores estandartes da vida apressada na megalópole para mim, enquanto forasteira, é o contrário: uma desaceleração, diz Juliana.

É tanta poesia, que descreve abaixo que resolvi discorrê-la exatamente como recebi. (seria um crime, poupá-los).

Batizada de Toki – Um Mergulho no meu Tempo, imaginou-se um pequeno cubo de 40 metros quadrados como zona de contenção, calmaria, equilíbrio e recarga, onde leveza e frescor imprimem as maiores notas por meio de paleta suave, tons esmaecidos, texturas aconchegantes e um forte apelo craft na seleção de superfícies e acessórios. As paredes, por exemplo, se harmonizam entre a composição da cerâmica assinada pela artista Hideko, as áreas de lona crua, e os encapsulamentos com telas bem fininhas em performance quase de papel-arroz, vendendo a ideia de flutuação desde o piso em mood sépia até alcançar o teto em carvalho estonado, levemente rosado, de onde pende uma escultura deslumbrante da artista Clara Fernandes. Entre ampulhetas e composições transadas de arranjos naturais, a seleção do mobiliário e dos acessórios também confronta timings diferentes, numa narrativa cheia de lógica para a arquiteta que também é musicista e apostou nos versos de Arnaldo Antunes para a trilha: “Será que a cabeça tem o mesmo tempo que a mão? O tempo do pensamento, da ação?”. Assim, o dito slow design, em peças desenvolvidas ou customizadas especialmente para  seu espaço, ofício que demanda longos períodos de feitura entre os dedos. Nessa mistura fina, a arte também abarca saberes atemporais.  Entre transparências e furtacores, o ponto de exclamação é o sofá, que ganhou índigo em tie-dye, técnica oriental milenar (também conhecida como shibori no Japão) que descolore os tecidos em manchas abstratas. E, para acentuar essa autoria handmade, a própria Juliana desenhou o tapete em tear, quase como um manifesto das reconexões com a casa, com a vida e consigo próprio, de dentro para fora e de fora para dentro. “Todo o layout é voltado para a janela, para descansar a vista e direcionar o olhar para o mundo – e para o tempo – que nos espera”.

Para finalizar, outro verso “caetânico”: “Peço-te o prazer legítimo e o movimento preciso, quando o tempo for propício/Apenas contigo e comigo/Tempo, tempo, tempo, tempo”.

Estão curiosos, para visualizar a poesia? Aí estão as fotos de Denilson Machado.

Este projeto é um belo exemplo do compromisso que a arquitetura de interiores tem com o cliente, neste caso o conceito por ser uma mostra. Ao olhar não entenderíamos, talvez, tanto significado materializado no espaço.

Precisamos cada vez mais lutar pela exposição das ideias/conceitos/raízes de cada projeto. Assim, além de olhar e ter a beleza e as sensações como resultado, divulgamos o criador e orquestrador da obra de arte, como sua referência. Logo, se entende tamanho investimento que se faz ao criar um projeto único e lapdado para se viver, priorizando significados.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #projeto #significado

As raízes de Leo Romano, ganham um instituto.

Olá seguidores que amam arquitetura de interiores e design.

Vamos mostrar aqui um espaço de arquitetura e arte recém inaugurado em Goiânia, o Instituto Leo Romano.

Vamos conhecer?

Para celebrar seus 21 anos de trajetória profissional e realizar um antigo sonho, o arquiteto e designer Leo Romano escolheu a cidade onde escreveu sua história, para abrigar a sede de um centro educacional. “Passamos a oferecer um novo espaço de referência de arte e de formação em que ocorrerão palestras, workshops e outras atividades, principalmente para estudantes e profissionais das áreas de arquitetura, design e artes plásticas, celebra Romano.

A casa dos anos 70, com arquitetura moderna, a residência foi totalmente reformada para receber alunos e colaboradores. Inserida em meio ao verde, conta com um jardim para os visitantes. Segundo Leo, “A construção dialoga com desenhos modernistas de década de 70, assim como com os desenhos de Oscar Niemeyer”, comenta.

O local também abrigará a sede do escritório Leo Romano de Arquitetura, uma biblioteca aberta para o público geral, além da galeria de arte.  E para valorizar ainda mais essa atmosfera, os espaços contam com uma decoração especial, repleta de móveis e objetos assinados pelo próprio designer.

As fotos são de Edgard Cesar.

Um lugar de referência, um lugar para pensar sobre arquitetura, arte e design.

Um espaço com a raiz de Leo Romano.

Por muito mais espaços assim!

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gente feliz

Conceito da Casa Gente na Casacor Goiás

Olá seguidores.

Que tal, a casa gente? Alguns podem responder: Minha casa? Sim. Essa é a proposta da designer de interiores Andréia Rocha Lima, que me encantou com seu conceito, simples autoral e atemporal de viver. Apresento-lhes a Casa Gente…(texto da autora)

[CASA GENTE é um espaço “biográfico, livre, que conta a história de gente que sente, ama, sonha e vive. Nesta “CASA” se encontram identidade, design, arte, decoração, memórias e natureza. Um modo de viver autoral, acolhedor, generoso e simples. No espaço de 60 m², a profissional mescla mobiliário e peças de diferentes estilos, texturas e origens, que contarão a história de “GENTE”. A ideia é que o visitante encontre alguma referência de sua própria história no ambiente.

Acredito na casa de verdade! Onde o sofá é pra sentar mesmo e vai acabar marcando o lugar predileto de assistir um filme…

As cadeiras vão, charmosamente, ostentar  uma manchinha esquecida pela gota de vinho que caiu numa noite gostosa com amigos… A mesa de jantar marcada pelo fundo de uma taça de um brinde despretensioso… Nas paredes, uma lembrança de viagem enquadrada como se fosse a própria Monalisa…

Lembranças, cheiros, histórias… a casa tem que ter vida! Alma! É a extensão de quem mora nela! Os amores, as crianças, sonhos, alegrias e dores ali se encontram, emocionam e perpetuam… CASA GENTE!  Esse é o princípio do projeto! ]

Acreditamos aqui no Casa de Raiz que essa é a verdadeira casa. Aquela que deve ser valorizada nas mostras, e devem estar a mostra para que todos saibam e queiram no lar, um morar mais humano, projetado para o usuário,  sob medida, onde todos os sonhos e sentidos se materializem. Isto é arquitetura afetiva, que leva a uma arquitetura de interiores assertiva.

Aprecie algumas fotos do fotógrafo Ênio Tavares.

O conceito desse ambiente me encantou, por ser um manifesto da casa que tem vida, que tem sentido, que tem dono. Por mais projetos assim. Que ensinam pensar sobre o habitat na sua mais pura essência…RAIZ!

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gentefeliz

A personalidade é a raiz dos ambientes integrados neste apartamento

Olá seguidores.

Apresento hoje um projeto onde a solicitação dos moradores, eram receber e relaxar, como foco central da proposta para os espaços sociais. Design contemporâneo e materiais atemporais são a base para a integração entre living, sala de jantar, home theater, espaço gourmet e terraço. O resultado é um único espaço que faz conexão entre todos estes recintos com uma personalidade própria. Essa personalidade é reforçada pelos materiais como o estuque concreto nas paredes, contrastando com o mármore polido na lareira, a divisória de aço corten e madeira maciça, painéis em couro ao fundo do home theater que favorece a acústica do ambiente, vigas de madeira no forro do espaço gourmet, além da iluminação e a automação pensada para criar muitas possibilidades de cenas, variando a atmosfera desde a intimista, passando por indireta, difusa e claríssima. O momento escolhe, isso é personalizar!

Os tons neutros e a variedade de materiais naturais, se ajustam na ambientação que adota areia, beges, cinzas e marrons. Essas tonalidades se misturam ao uso do couro, linho e madeira natural. Moldando assim um ambiente atemporal com toques de aconchego.

Veja as fotos e passeie por esse ambiente lindo, para usar.

Fotos: Rômulo Fialdini

Tem a alma de uma família que buscava integração dos espaços, e recebe um apartamento super personalizado para usufruir de momentos que marcarão a história deles. Isto é arquitetura de interiores. Aquela que promove, momentos, sentimentos e bem estar, quando tudo é pensado, projetado e executado para tal. Essa é a ideia, transformar a vida das pessoas.

Amo muito tudo isso!

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gentefeliz

Duplex com raiz no design assinado

Olá seguidores.

Nosso post fala de um apartamento, onde a raiz são as peças de design assinado, bem distribuídas na ambientação. O imóvel está localizado na Vila Madalena em SP, e tem assinatura do escritório Díptico Design de Interiores. Com intuito de proporcionar bem estar e estimular o convívio em família, a moradora se mudou com o marido e os dois filhos pequenos para um duplex de 250 m², em meio a muito verde.

Original e com “quê” escandinavo o apartamento já possuía alguns móveis e o assoalho de madeira maciça. Restaurados, se compõe com uma base neutra, os móveis atemporais, muitas obras de arte, peças de família, e móveis de design. Ou seja, um pano de fundo atemporal que volta a cena para valorizar o mobiliário atual e a essência da família. Adoramos a proposta!

As peças de design que desfilam na ambientação, tem assinatura de grandes nomes como, Sergio Rodrigues, Michel Anastassiades, Paulo Alves entre outros.

Confira as fotos de Julia Ribeiro:

O projeto deve manter o que é significativo no imóvel, sem esconder sua originalidade. Logo, trazer a personalidade dos moradores através das peças, artes e sentimentos. Assim compomos uma casa de raiz.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gentefeliz #casacomalma