Urban Jungle

Olá seguidores, estamos aqui pensando no verde…Por que ele nos encanta? Por que invadimos o verde ou trouxemos ele para junto de nós?

Essas perguntas ficam latentes após visitarmos a Casacor SC em Florianópolis. Claro que o local, ajuda no partido. Em meio a mata, só dá vontade de ter o verde como cúmplice do espaço.

O tema da Casacor deste ano, Casa Viva, já é uma forma maior de abordagem da vida nos ambientes projetados. Onde a ideia é explorar a conexão com a natureza, mostrando uma casa que pulsa, uma casa camaleônica, que promova experiências que emocionam. E o verde?

Floresta urbana, ou conceito Urban Jungle, é uma nova tendência, que aproxima a natureza das pessoas em seu lar, fazendo bem à alma e ao bem estar. Uma mini floresta, paredes verdes, árvores frutíferas, ou apenas vasinhos agrupados em aparadores e prateleiras, tudo pode!

Mas por que, ter o verde por perto? As cidades estão cada vez mais áridas, cinzas, e concretas. Inclusive nos ambientes internos. Logo é preciso escapar, desconectar, ser leve, deixar fluir, respirar, sentir. Além de contribuir para o controle da umidade, limpar o ar, relaxar o corpo e a mente, diminuindo o nível de estresse.  Um ambiente mais verde é menos poluído, mais frio durante os meses quentes, e também tem uma aparência mais atraente.

Trazer a natureza para perto, através das plantas dentro ou fora de casa, ou inserir sua morada em meio ao verde, são soluções contemporâneas para uma vida melhor. As plantas são vidas, elas pulsam, e se conectam de alguma forma conosco. Acontece uma troca. Isso é fato!

Dá trabalho? Então opte por papéis de paredes ou tecidos com estampas. De alguma forma o verde estará presente, trazendo leveza ao ambiente.

Nesses dois projetos, criações diferentes: Na Casa Ônix, ela se insere em perfeita conexão com a vegetação existente, original do local. O arquiteto, criou sua obra, adaptando-se tirando partido do entorno, junto aos ambientes.

Projeto Studio Gabriel Bordin – Foto: Mariana Boro

No ambiente Little Jungle , uma circulação que até então, teria a função de interligar os ambientes de uma casa, ganha status de acolhimento, através do aconchego, e o cuidado na escolha e forma de colocar as vegetações no espaço. A energia positiva das plantas transforma o espaço em vivo e dinâmico. Além de expor relíguias, peças de design, ou peças garimpadas em viagens, as memórias contam a história de quem vive ali. Tudo que precisamos ver na chegada!

Aqui o verde está em vasos, permitindo a mobilidade, para a insolação e rega. E ainda a fácil reposição…ideal para ambientes internos.

Projeto: Pedro Tessarollo e Jairo Lopes Foto: Lio Simas

Uma tendência acontece impulsionada por um movimento que o mundo está fazendo. O comportamento das pessoas ditam e reverberam novas criações e possibilidades. Pode até ser tendência, mas precisamos entender o conceito. Se ele se conecta com nossos anseios e desejos, podemos trazer para nossa vida. Ou seja, descubra a raiz. Se os frutos que virão lhe encanta, plante ela na sua casa.

#conceito #tendencia #casacor #casaviva #arquiteturadeinteriores

Ambientes afetivos

Olá seguidores, aproveitando novamente um tema apresentado na Casacor SC, vamos falar da afetividade na concepção dos espaços.

O afeto na arquitetura de interiores

Eu gosto muito desse tema, inclusive é proposto diariamente em nossas postagens no @casa.de.raiz . Trazer um olhar mais profundo para os ambientes, é uma forma de projetar o afeto.

Os ambientes afetivos, acolhem as pessoas, passam a sensação de pertencimento ao espaço, tornando assim mais agradável a sua permanência e uso do mesmo. Para isso um olhar para dentro, um exame, um diagnóstico deve ser feito minunciosamente pelo profissional envolvido com a criação.

Essa se apropria de processos mentais do comportamento humano e de suas interações com o ambiente físico e social, buscando personalizar e revelar a identidade do morador, além de materializar seus desejos. A arquitetura afetiva promove mudanças, avanços e melhorias, algo que vai projetar o cliente para o que ele quer ser, fazer, e viver. Sendo assim ela pode ser considerada um resgate do que somos, para compor o que desejamos.

Na cozinha com afeto, apresentada por Theiss Girardi Arquitetura, o resgate é justamente de criar uma nova relação com o alimento, melhorando a partir do espaço criado, a manipulação e a preparação da comida, além de promover encontros entre as pessoas que amamos. Achei bárbaro! O afeto, como premissa do projeto, resultando um ambiente além de funcional, afetivo, convidativo e encantador, afinal a arquitetura está à serviço das pessoas.

Vamos ver as fotos dessa cozinha cheia de afeto?  Por Mariana Boro

Trouxemos o exemplo desse projeto para tocar num assunto contemporâneo. O resgate de nós mesmos, criando projetos únicos, com identidade. Pela necessidade de nos reconhecer, diante desse mundo globalizado, imenso.

“Para que não te percas, te encontre na tua casa”.

#casaderaiz #afeto #arquiteturadeinteriores

O morar nômade

Olá seguidores,

nos próximos posts, usaremos como referência em nosso texto, alguns conceitos que foram materializados na Casacor SC em Florianópolis.

Conceito Nômade

Este conceito tem base nos nômades, aqueles que se movimentam, trocam de morada, são itinerantes.  O morar nômade, cada vez mais forte, retrata o momento atual, onde apresenta-se uma geração mais livre, solta, menos apegada, que vivem em constante movimento. Esse movimento pede projetos que acompanhe essa tendência comportamental.

O mercado vislumbra esse processo de transformação do morar, que pode ser lenta, mas certa. Este ano no I Salone (salão de móveis de Milão), várias marcas apresentaram produtos de fácil mobilidade, leves, moduláveis e montáveis, resistentes e de excelente qualidade, concebidos para atender essa necessidade do estilo de vida contemporâneo. “Sempre digo que móveis soltos são eternos”.

A vida nômade é possível diante do avanço tecnológico que permite uma vida móvel, e se o design acompanha com produtos inteligentes, tudo fica mais fácil.

Além disso a proposta é uma forma de refletir sobre a própria existência, julgar o que realmente é necessário para o viver cotidiano e a longo prazo, respeitar os limites físicos, mentais e espirituais, e propagar coisas boas em uma época em que o mundo passa por diversas dificuldades. Outro ponto a se pensar, é a menor aquisição de imóveis. Atualmente muitos preferem alugar imóveis ao invés de comprar. Pois isso lhes permitem mais mobilidade.

Se nos movimentamos mais, teremos mais histórias pra contar. Em contra partida, precisamos de referências de nossas origens por perto, trazendo a relação de pertencimento aos lugares que moramos. Mesmo que poucas, essas referências são importantes. “Afetar o lugar por onde passamos é tão importante quanto ser afetado por ele, ao levar a sua imagem na trajetória“.

Enfim, se olharmos para o futuro do morar, ele deve ser cada vez mais móvel- logo mutante, leve, aconchegante e com muitas memórias.

Veja o ambiente do arquiteto Marcelo Salum, a sala Kidron, com o conceito nômade. Fotos: Mariana Boro

Nesse projeto, todo mobiliário solto, distribuído com planejamento, para que todas as peças e relíquias acumuladas durante a vida, estejam todas igualmente valorizadas.

Gostei muito, do projeto e do conceito ser abordado na mostra. Por isso está aqui.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores 

Sobre a Casacor SC em Florianópolis

Olá seguidores, neste sábado tivemos a oportunidade de visitar mais uma edição da Casacor, desta vez em Florianópolis. Foi como voltar nos antigos tempos, onde a Casacor acontecia numa casa, mantendo suas características. Um casarão no caminho do meio em Santo Antônio de Lisboa, traz o sotaque Lusitano para o evento. Um resgate da memória do lugar, valorizando a vida que acontece na ilha de Florianópolis. O jeito de morar catarinense, agrega-se ao tema casa viva, da mostra esse ano. A casa em meio a mata, integra-se à natureza com construções efêmeras que,se inserem e adequam-se ao local, sem tocá-lo, preservando-o, conectando-se ao verde. Fantástico!

Foto: Fernando Willadino

O tema seguido a risca, onde o verde/vida, presentes no espaços em conexão perfeita. Não imposto, mas integrado.

A medida em que vistávamos e sentíamos os ambientes, cada conceito surpreendia. Sim, os profissionais estavam preparados para defender seus projetos a todos que passavam por ali. Conceitos interessantes que nos levam pensar sobre o morar, como uma mostra deve ser…promover a reflexão.

Mostraremos alguns conceitos que nos marcaram por sua essência.

O Jardim de Estar, assinado por Ana Trevisan, além de conectar as edificações externa á casa, traz a experimentação como premissa, ou seja, sentir o lugar, ler algumas mensagens expostas e refletir sobre elas.

Foto: Mariana Boro

A Varanda “Verdejantes Tempos, mudanças de ventos…”, assinada por Mariana Pesca, Elise Lacerda e Ivana Bernart, um ambiente que faz uma conexão com o espaço interno e externo, tudo se mistura, e vivem a natureza no dia a dia.

Foto: Fernando Willadino

O Little Jungle, assinado por Pedro Tessarollo e Jairo Lopes, é uma circulação transformada em espaço multiuso que se apropria da energia positiva das plantas para conectar as pessoas ao ambiente.Foto: Lio Simas

A Suíte Essencial assinada por Juliana Pippi,  traz impresso no seu projeto a simplicidade e o essencial para pensarmos sobre os ambientes. Tudo muito leve como a vida deve ser. Porém com a riqueza de peças elaboradas, com design diferenciado, aplicado de forma funcional sem excessos para a vida correr livre por ali.Foto: Mariana Boro

A Sala Viva, assinada por Anna Maya, além da presença do verde no seu design, seu eixo principal faz um link perfeito com o verde da área externa. O uso de materiais naturais também reforça a vida no seu conceito.
Foto: Lio Simas

A Sala Kidron, assinada por Marcelo Salum, evoca o conceito nômade na sua amplitude, desde o ato de movimenta-se, até as transformações dessas mudanças. Uma sala para um médico terapeuta, onde conversas sobre a vida e experiências acontecem para o aprofundamento das questões da alma. Os momentos e movimentos em pauta.
Foto: Mariana Boro

A Cozinha com Afeto é a proposta de Rosane Girardi e Alcides Theiss, onde as memórias afetivas estão representadas no projeto, e propõe preparar a refeição do dia a dia com menos pressa, provocando o pensar sobre a relação com o alimento.

Foto: Mariana Boro

A Lavanderia, nesta casa é um lugar de memórias afetivas, que lembra casa de vó. Um ambiente que traz o consumo consciente da água, um espaço pet e um lugar para trabalhos manuais do dia a dia, criando a dinâmica do ambiente assinado por Gabriela Bosco Dutra e Vanessa Buonomo.

Foto: Lio Simas

Uma casa, uma construção efêmera, a Casa Ônix by Karsten, assinada por Gabriel Bordin, permeia-se na paisagem. Uma espécie de cabana que interage com o verde do entorno. Uma prova viva de desconexão.

Foto: Mariana Boro

Estes são alguns conceitos que falam a nossa língua. Conceitos que expressam a contemporaneidade do tema morar. Ambientes que trazem na sua essência o que mencionamos por aqui, com o intuito de contagiar mais pessoas a terem em suas casas o que lhes fazem bem. Vislumbramos o entendimento de que a formatação de um conceito, que responda as necessidades de cada indivíduo, é base, na prática diária da boa arquitetura de interiores.

A Casacor SC em Florianópolis está de parabéns por expressar muito bem a casa viva. Gostei muito, do início ao fim.

#casaderaiz #casaviva #casacor #casacorsc #arquiteturadeinteriores

Especial ambientes Casacor SC Itapema

Olá seguidores, este canal é para mostrar projetos que contem histórias de morar e que possam orientá-los na formatação da sua casa junto ao profissional. Acreditamos que cases interessantes fazem você entender melhor a arquitetura de interiores e possa levá-la para sua vida.

Mas o calendário Casacor deste ano está a mil, por isso não deixaremos de mostrar por aqui os ambientes lindo que chegam aqui.

Hoje o post especial é sobre a Casacor SC, mais precisamente em Itapema que acontece até 22 de julho, no antigo Resort Plaza Itapema.

O tema da mostra “A Casa Viva” está em cada ambiente, são refúgios para receber amigos, familiares e pets.  A ideia é proporcionar inspirações para as pessoas sentirem-se integradas com vivências cheias de significado.

Vamos passear pela mostra? As fotos são de Lio Simas.

Fachada – Marcelo Urizar

O artista argentino ilustra “A Casa Viva” inspirado na pureza do olhar das crianças.” O olhar das crianças é puro”. O artista observa que no interior das crianças habita o desconhecido, o contato com os animais, a descoberta dos fenômenos da natureza, as novas percepções de ser quem somos.

Lobby ” Pedra que Bolle” – Angélica Paz, Cléo Linhares e Suellen Paul

Este ambiente mostra a relação aproximada dos profissionais com o mar, num mix dos estilos neoclássico, moderno e minimalista. A inspiração para o nome nasce de uma lenda do Costão Norte da Praia de Ilhota, onde há uma pedra que, nos períodos de ressaca, se move com o bater das altas ondas do mar. A lenda guarda a história do amor trágico de dois jovens apaixonados.

Sala de Imprensa – O trio de Itapema, Juliana Flores da Rosa, Raquel de Araújo e Fabiana Costa faz uma homenagem ao trabalho dos jornalistas.  A partir disso, elas agregaram jornais antigos, uma pequena biblioteca com livros ligados ao jornalismo e literatura geral e LPs, tudo aliado à tecnologia atual.

Home Fragrance – Laura Gransotto

O espaço sintoniza com a Casa Viva no conceito da Biofilia: a natureza como meio natural para a saúde. Trazendo o conceito Navy Blue  e o decor náutico.

Sala Happy End – Juliana Marodin

A sala busca, por intermédio dos materiais, conectar-se ao que realmente é importante na vida. O diferencial é o cantinho pet, hoje considerado um membro da família para muitos, incorporado ao estilo do ambiente.

Cine Inkor – Oikos Arquitetura

Karoline Bernardo e Sidnei Machado vem com este auditório especial. O espaço é apropriado para a realização de importantes eventos.

Apartamento Gold Edition – Fabiane Folchini

A inspiração foi um ambiente de uma empresária ligada à moda, solteira, descolada, antenada com tendências em décor e moda, recebe muitos amigos em seus momentos de lazer.

Unilux Hub – Daniela Vieira

Um ponto de encontro e de conexão entre as pessoas. Formas desconstruídas e volumetrias se destacam desde a fachada, dando ritmo e cores escuras, imponência e sofisticação. A integração com o Boulevard é destaque, levando para o exterior um espaço integrado, com mobiliário moderno, ideal para um drink e uma boa conversa com amigos.

Varanda do Músico – Liliane Rodrigues, Filipe Milanezi Lima e Lucas Fernandes.

Um ambiente confortável, para descansar e receber amigos em casa. Um refúgio para o homem que é músico, solteiro, amante do jazz e frequentador de PUBs ligados ao estilo.

Lavabos dos Artistas – Juci Perazza

Este lavabo traz um pouco do mundo da música para a Mostra. O luxo e o conforto são predominantes. Um espaço que valoriza a arte, com cores e materiais marcantes.

 Piano Bar  – Bruna Zappelini

Trabalhado no tom da Biofilia, remetendo ao mundo subaquático da Casa Viva. Leveza e sinuosos movimentos estão neste ambiente com conceito de leveza com formatos, materiais, cores e texturas que remetem aos elementos do fundo do mar, como peixes, corais, conchas, bolhas de água e ondas.

Habitat Deca – Jeferson Branco

Norteado pelo conceito central, o projeto Habitat DECA, celebra “A Casa Viva” com o que a vida tem de mais belo: sua diversidade. O projeto inclui todos os possíveis usuários, sem qualquer tipo de barreira ou discriminação. Utiliza materiais brutos e que remetem ao natural para recriar um habitat, onde essa diversidade do cotidiano acontece livremente, inspirado pela natureza e explicitando que diante desta, todos somos iguais.

Restaurante da Casa – Diogo Lemos, Leandro Sumar e Fábio Vitorino

Um restaurante com espaços distintos para diferentes ocasiões. Inspirado na expressão inglesa “Mood”, o ambiente baseia-se nos variados momentos e estilos de vida. O resultado é o relacionamento vivo, motivado pelo tema “A Casa Viva”.

Clube Kids – Diogo lemos e Rita Lemos

Um ambiente pensado para a garotada se divertir enquanto os pais visitam a mostra. Quatro espaços têm funções diferentes: um para teatro, outro para games e desenhos, um para atividades artísticas e um fraldário.

 

Pub do Hotel – Juliane Gasparin, Mariana Marchiori e Tatyana Müller

O nome do ambiente demonstra toda a sua pluralidade. As arquitetas criaram um projeto com linhas contemporâneas, permeadas por toques de tradição. Essas pinceladas podem ser vistas em elementos bem comuns em PUBs ingleses, como couro em capitonê, madeira maciça e tijolinhos aparentes, entre outros detalhes.

 

Livraria – Luiza Fortkamp e Hebert Evaristo

Há mais de mil títulos e seletas obras de arte no espaço, que tem estilo clássico e muito charme nos acabamentos. O ambiente foi pensado para trazer à tona a sensação nostálgica de uma livraria clássica. A atmosfera é de uma biblioteca particular de um casarão dos anos 20, com todo o charme e luxo do estilo vintage.

Penthouse – Alexandre Voigt

Composto de uma suíte completa com closet, sala de banho, living, jantar e cozinha, que camuflada de forma suave, parece um grande bar para receber os amigos e dividir um bom vinho.

Loft do Fotógrafo – Andressa Dangui

Inspirada no tema “A Casa Viva”, preparou seu show em materiais sustentáveis no Loft do Fotógrafo, construído com container. O espaço é criado para um jovem fotógrafo, ousado e moderno, ligado às tendências dos Home Offices, buscando para isto, o conforto.

Loft do Arquiteto – Athos Peruzzolo

Um loft  pensado para um homem apaixonado por arte, viagens e esportes em meio à natureza, reflete um pouco o seu próprio estilo de vida, suas preferências e hobbies. Living, home theater, closet, sala de banho e dormitório acolhem arte, objetos de design, a natureza em sua forma mais viva e peças garimpadas mundo afora.

Casa 55 – Fernanda Eicke

Sustentável e atemporal, a Casa 55 composta por fachada, área externa com paisagismo, balanço, Hall de entrada, jantar, copa bar, living, suíte master com sala de banho e closet. E uma das novidades do ambiente é o closet em vidro.

Galeria de Arte – Ana Lins e André Bettinelli

petit Galeria de Arte, tem como janela inspiradora o Pavilhão 1929 Barcelona Mies Van der Rohe, com linhas simples, ortogonais e elegantes. Materiais naturais acolhem com simplicidade os objetos, para valorizar o mais importante: a arte.

Cozinha de Estar –  Claudia Stach e Daniela Bordignon

O espaço cheio de inspirações, pensada para encontros saborosos e inesquecíveis, possui as funções de cozinha, living, jantar, adega e lavabo, formando a área social de uma residência, com ares contemporâneos, sem esquecer de suas memórias. Materiais naturais e vegetação são pontuados, trazendo conforto, de maneira sutil e elegante.

Spa Murion – Lia Herrmann e Mateus Spricigo

Um ambiente para mexer com os sentidos dos visitantes, inspirando leveza e aconchego, trazendo em sua essência o minimalismo na composição formal. A simplicidade foi o ponto inicial. Todos os excessos foram dispensados para criar uma atmosfera elementar e contemporânea.

Jardim Tropical – Francielle iOst

Inspirado nos elementos da natureza local, como a água em movimento, a palha e a madeira, a profissional cria um espaço de convivência e também de passagem. São quatro lounges para os visitantes, que ganham a sensação de bem-estar e bons encontros na mostra.

Lobby do Hotel –  Lili Golunski, Georgea Golunski Novello e Natalie da Cruz

O Lobby do Hotel faz alusão às residências dos anos 70, típicas da região Sul do Brasil. Destacando trabalhos feitos em madeira, as rústicas casas de pescadores foram a essência para a concepção do projeto. A champanharia anexa ao lobby, complementa as memórias afetivas e fornece uma experiência de recepção luxuosa aos hóspedes.

Beach Sunset – Francisco Macedo Bhöm e Lygia Siévert

A piscina é o lugar da memória afetiva dos visitantes, diante da Praia de Ilhota. A originalidade das lembranças de um hotel que marcou a vida de muitos, durante mais de 40 anos, foi mantida e reorganizada, dentro de uma realidade atualizada. Conforto, lazer e convívio, aliados à simplicidade e à beleza do mar. “Um ambiente especial para exaltar a grande festa que é a vida! Este é o espaço onde tudo pode acontecer”.

Varanda Gourmet – Aline Sandri e Elise Bueno

A ideia foi conceber um espaço para contemplação, descanso e convivência, com uso gourmet.  A Varanda Gourmet traz o conceito de que a casa deve estar sempre em movimento, deve ser usada, tanto para receber quanto para relaxar. A natureza e a luz natural estão presentes em nosso espaço, também mostrando que a casa é viva, na manhã com um olhar através da luz e à noite, com a chegada da luz artificial, cria uma nova sensação, um novo sentido o da Casa Viva”.

Loft Gris  Maria Ondina Garcia e Eluize Mendes

Um espaço contemporâneo para uma empresária do mundo da moda, prática e autêntica. O layout integra estar, jantar e cozinha, a um jardim com plantas naturais traz a sutil transição entre as áreas social e íntima.

Casa Carbono –  Pedro Tessarollo e Jairo Lopes

Nesta edição eles apresentam a Casa Carbono, uma caixa arquitetônica, um loft com espaços fluidos e totalmente acolhedores. “Elegemos o carbono, elemento químico utilizado para investigar a cronologia e memórias dos objetos, para traçar uma equivalência com a casa. Para nós, o tema remete às marcas do tempo decorrentes da relação entre o morador e a morada. Na verdade, são registros da história de ambos”.

Loft Casa Verde – Tufi Mousse

A CASA VERDE tem a cozinha tecnológica, a sala para jantar, o estar para conversar e a suíte para descansar, com funcionalidade e muito aconchego numa atmosfera urbana.

Living e Jantar – Fernando Luiz Dal Bosco

Ele promete conquistar esse exigente público com uma casa à beira-mar, contemporânea. Há o aconchego da madeira e a rusticidade de pedras naturais de cascalho, que compõem o ambiente no revestimento das paredes. A proposta é transformar um ambiente rústico sem deixar de ser sofisticado e conceitual.

Cozinha Dinamarquesa – Linda martins e Cris Araújo

Inspirada no design das terras de Hamlet, grande obra de William Shakespeare, promete uma experiência sensorial e visual única. Buscaram no estilo escandinavo a base para a idealização da Cozinha Dinamarquesa. “Para cumprir a proposta da mostra, trouxemos ainda mais aconchego e uma simplicidade convidativa para a cozinha. Para isso, apostaram no design nórdico como inspiração que prega o conceito de hygge. Não há tradução do termo, mas refere-se a uma vida minimalista com foco no bem-estar. Na decoração, traduz-se em funcionalidade e máximo conforto.

Suíte Master – Daiane Melo Campos e Mariana Maran

Uma suíte para inspirar, com equilíbrio entre aconchego e sofisticação. A integração dos espaços está aliada à funcionalidade do ambiente, composto pelos closets dele e dela, home office, sala de banho e SPA, e o quarto.

Sea Lounge – Luiza Fortkamp e Hebert Evaristo

Ambiente elegantemente acomodado em um container, na ideia sustentável da Casa Viva. Idealizado com a proposta de um espaço externo, tal qual uma edícula, para que os amantes do mar possam apreciar sua grande paixão, aguardar os preparativos da sua embarcação, bem como passar um dia de descanso em família e amigos, longe da loucura das cidades grandes. Um lounge – SPA para apreciação e descanso, e um recanto para o tão merecido ócio.

Garden Loft Renault – Adriana Piva

O Garden Loft trazem como conceito a integração entre os espaços externo e interno, utilizando-se da vegetação como elemento principal desta relação, pois o verde se faz presente desde a chegada à área externa, conduzindo e estando também no ambiente interno. O layout, em quatro ambientes (Garagem, Living, Jantar e Suíte), é composto por espaços que se integram e que mantém a mesma linguagem arquitetônica, mas que ganham personalidades distintas por meio das escolhas dos materiais de acabamento.

O que dizer deste tour? Adorei ver o conceito “Casa viva” desfilando pelos 35 ambientes da mostra, reforçando o compromisso da integração dos espaços com a natureza, com as pessoas, com a sustentabilidade, e  de verdade propondo um morar cheio de significados, abdicando do luxo ostentação. Parabéns aos profissionais que honraram seus títulos e valorizaram o conceito da Casacor 2018, a casa viva…e viva a casa!

#casaviva #casacor2018 #casacorsc #design #arquiteturadeinteriores