Casa latente, com muito design – Casa Ocra

Olá seguidores, o nosso blog traz posts com casas de raízes, ou raiz. Aquelas com alma e latentes. Então eis aqui, na nossa humilde opinião, aquela que retratou a vida acontecendo, nesta edição da Casacor RS, a Casa Ocra.

Eu moraria ali. Tem construção simples, é aquele projeto que te diz: entra e faz o que tu quiser. Claro que daí um bom projeto de interiores é necessário…Mas lá está! Assinado pelo designer de interiores Juarez Cruz, a casa ocra, permite a vida cotidiana com praticidade, sem descuidar dos detalhes. Juka utilizou mobiliário solto, com a possibilidade de vários designers serem contemplados no espaço.  No estar, a base é de encher os olhos. O tapete centenário, conta várias histórias, que também estão presentes no movimento da manta, do fogo, da arte e os detalhes que remetem vida no ambiente.

Na bancada da cozinha, as marcas do uso e do tempo, me encantou. A atenção de mostrá-las em Casacor, me surpreendeu.

Os tons, a iluminação, o movimento da cortina, o cheiro, a playlist, e o aconchego é um convite para viver ali. O projeto de uma casa de verdade, simples na concepção, mas carregada de significados, que conectam os visitantes, através dos sentidos, e os convidam para morar e amar aquele lugar.

Vejam as fotos da Casa Ocra por Marcelo Donadussi:

Nós, do Casa de Raiz, valorizamos projetos assim! Aqueles que nas suas entrelinhas denotam a vida acontecendo…casas de morar, de ficar e de se conectar uns aos outros. Uma casa viva, latente, pulsante…um lar.

Por mais projeto assim em mostras.

Se eles acontecerem, estarão por aqui.

#casaderaiz #casaviva #casacorrs #casacor #arquitetura

#arquiteturadeinteriores #design

Seja Lupa e descubra este espaço criativo na Casacor RS

Olá seguidores,

Mostraremos para vocês hoje o Pátio do Músico , como um dos ambientes da Casacor RS que nos encantou. O conceito materializado no projeto, foi o ponto do nosso encantamento. Durante o percurso, ao sair do café, vejo o profissional apresentando o seu espaço. Logo me identifiquei. Lembrei de quando eu ficava nos meus ambientes na mostra, verbalizando todo o meu pensar através do conceito que criara, para que todos entendessem o projeto e cada detalhes nele lapidado.  O Lupa Multistudio faz sua estréia na mostra, com um projeto de área externa, que parte do desenho do símbolo shuffle, utilizado nos aplicativos de música. Segundo o arquiteto Lucas Prates, o símbolo remete aleatoriedade, versatilidade, multi função, descontração e interatividade.

O traçado segue linhas e combinações que justificam a simbologia shuffle, através das cores e iluminação o movimento, a descontração e dinamismo para o ambiente.

A sustentabilidade está presente em alguns usos como o painel solar para aquecimento dos bancos, espelho da água para climatização em dias secos. Assim funciona para a natureza presente, a brutalidade dos materiais escolhidos, a sustentabilidade e versatilidade de uso no espaço que remetem todo o conceito de “CASA VIVA”, segundo Lucas. Ele também acredita que o paisagismo vai muito além de pensarmos em um único uso, paisagismo é criar uma rotina viva e versátil fora da “caixa casa”.

Tudo se justifica. O traçado nos leva. O verde veste o espaço elaborado. Um ambiente externo que acolhe. A sustentabilidade do espaço está garantida, nas especificações dos materiais. Vejo arquitetura, vejo compromisso, vejo arquiteto envolvido em criar um conceito que mostre o seu pensar. Isto é estar em uma mostra, e se projetar através da sua criação.

Fotos: Edu Defferrari

A Lupa nesse caso é só para não perder nenhum detalhe. Vale a visita e sentir este espaço. Por mais ambientes assim em mostra.

Por isso faço questão em tê-lo aqui…um projeto de raiz.

#casacor #casacorrs #casaviva #arquiteturadeinteriores 

O TEMPO é a raiz da Sala Toki por Juliana Pippi para Casacor SP

Olá seguidores, hoje apresentamos um ambiente que se propõe a ser um refúgio do caos externo, proporcionando um clima propício para se reconectar com o tempo e consigo mesmo. Este é o espaço de estréia da arquiteta Juliana Pippi na edição paulista da Casacor.

“És um senhor tão bonito/Quanto a cara do meu filho/ Tempo, tempo, tempo, tempo…/ És um dos deuses mais lindos.” Os versos de Caetano Veloso em sua “Oração ao Tempo” embalam a verve criativa da arquiteta. E foi o próprio tempo, senhor de todas as coisas e autenticador de todas as qualidades, materializado na proposta, uma leitura panorâmica tanto do tempo enquanto passagem cronológica, quanto da metáfora de seu aproveitamento e da angústia pela sua falta. “São Paulo, que é um dos maiores estandartes da vida apressada na megalópole para mim, enquanto forasteira, é o contrário: uma desaceleração, diz Juliana.

É tanta poesia, que descreve abaixo que resolvi discorrê-la exatamente como recebi. (seria um crime, poupá-los).

Batizada de Toki – Um Mergulho no meu Tempo, imaginou-se um pequeno cubo de 40 metros quadrados como zona de contenção, calmaria, equilíbrio e recarga, onde leveza e frescor imprimem as maiores notas por meio de paleta suave, tons esmaecidos, texturas aconchegantes e um forte apelo craft na seleção de superfícies e acessórios. As paredes, por exemplo, se harmonizam entre a composição da cerâmica assinada pela artista Hideko, as áreas de lona crua, e os encapsulamentos com telas bem fininhas em performance quase de papel-arroz, vendendo a ideia de flutuação desde o piso em mood sépia até alcançar o teto em carvalho estonado, levemente rosado, de onde pende uma escultura deslumbrante da artista Clara Fernandes. Entre ampulhetas e composições transadas de arranjos naturais, a seleção do mobiliário e dos acessórios também confronta timings diferentes, numa narrativa cheia de lógica para a arquiteta que também é musicista e apostou nos versos de Arnaldo Antunes para a trilha: “Será que a cabeça tem o mesmo tempo que a mão? O tempo do pensamento, da ação?”. Assim, o dito slow design, em peças desenvolvidas ou customizadas especialmente para  seu espaço, ofício que demanda longos períodos de feitura entre os dedos. Nessa mistura fina, a arte também abarca saberes atemporais.  Entre transparências e furtacores, o ponto de exclamação é o sofá, que ganhou índigo em tie-dye, técnica oriental milenar (também conhecida como shibori no Japão) que descolore os tecidos em manchas abstratas. E, para acentuar essa autoria handmade, a própria Juliana desenhou o tapete em tear, quase como um manifesto das reconexões com a casa, com a vida e consigo próprio, de dentro para fora e de fora para dentro. “Todo o layout é voltado para a janela, para descansar a vista e direcionar o olhar para o mundo – e para o tempo – que nos espera”.

Para finalizar, outro verso “caetânico”: “Peço-te o prazer legítimo e o movimento preciso, quando o tempo for propício/Apenas contigo e comigo/Tempo, tempo, tempo, tempo”.

Estão curiosos, para visualizar a poesia? Aí estão as fotos de Denilson Machado.

Este projeto é um belo exemplo do compromisso que a arquitetura de interiores tem com o cliente, neste caso o conceito por ser uma mostra. Ao olhar não entenderíamos, talvez, tanto significado materializado no espaço.

Precisamos cada vez mais lutar pela exposição das ideias/conceitos/raízes de cada projeto. Assim, além de olhar e ter a beleza e as sensações como resultado, divulgamos o criador e orquestrador da obra de arte, como sua referência. Logo, se entende tamanho investimento que se faz ao criar um projeto único e lapdado para se viver, priorizando significados.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #projeto #significado

A personalidade é a raiz dos ambientes integrados neste apartamento

Olá seguidores.

Apresento hoje um projeto onde a solicitação dos moradores, eram receber e relaxar, como foco central da proposta para os espaços sociais. Design contemporâneo e materiais atemporais são a base para a integração entre living, sala de jantar, home theater, espaço gourmet e terraço. O resultado é um único espaço que faz conexão entre todos estes recintos com uma personalidade própria. Essa personalidade é reforçada pelos materiais como o estuque concreto nas paredes, contrastando com o mármore polido na lareira, a divisória de aço corten e madeira maciça, painéis em couro ao fundo do home theater que favorece a acústica do ambiente, vigas de madeira no forro do espaço gourmet, além da iluminação e a automação pensada para criar muitas possibilidades de cenas, variando a atmosfera desde a intimista, passando por indireta, difusa e claríssima. O momento escolhe, isso é personalizar!

Os tons neutros e a variedade de materiais naturais, se ajustam na ambientação que adota areia, beges, cinzas e marrons. Essas tonalidades se misturam ao uso do couro, linho e madeira natural. Moldando assim um ambiente atemporal com toques de aconchego.

Veja as fotos e passeie por esse ambiente lindo, para usar.

Fotos: Rômulo Fialdini

Tem a alma de uma família que buscava integração dos espaços, e recebe um apartamento super personalizado para usufruir de momentos que marcarão a história deles. Isto é arquitetura de interiores. Aquela que promove, momentos, sentimentos e bem estar, quando tudo é pensado, projetado e executado para tal. Essa é a ideia, transformar a vida das pessoas.

Amo muito tudo isso!

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gentefeliz

Apartamento com raiz no masculino

Olá seguidores.

Hoje mostraremos um loft com raiz no masculino. Assinado pela arquiteta Tânia Eustáquio. O loft foi projetado para um rapaz solteiro, onde tudo tem a sua imagem refletida. E o predomínio do preto e branco em toda ambientação.

O morador queria um loft com tijolinhos aparentes, black and white, pickups, bike e skate e muito espaço,… liberdade! E está tudo aí. (essa é a raiz)

Trazendo o gosto pessoal do morador, a sala de estar, com tijolinhos à vista na cor branca, contempla toda estrutura de home theater e som – com as caixas de som e ​quadros com fotos de músicos. A paixão pela música vai ainda mais além e transcende com o ambiente onde a arquiteta projetou um espaço para seus momentos de DJ. Em madeira preta, o móvel projetado abriga todos os discos e os equipamentos para discotecagem.

Detalhes como a bike e o skate pendurados na parede, dão um charme para a decoração das paredes! O apreço por vinhos pode ser visto por quem o visita: É de encher os olhos a vida dos rótulos devidamente posicionados na adega.

Na área íntima destacam-se o home office/biblioteca para as atividades profissionais do rapaz e o banheiro integrado, com bancada centralizada.

Seguem as fotos: Vamos conferir?

Tudo que o morador pediu, e mais um pouco.  Bom projeto, funcional, e com muito bom gosto. Como deve ser uma casa de raiz.

Tem o morador projetado aí. Tem arquiteto, construindo um conceito assertivo no projeto. Tem o conceito materializado e atendendo o morador.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores #gentefeliz

O aconchego e a nostalgia como raiz do dormitório

Olá seguidores,

Venho reforçando aqui a máxima da essência nos projetos de arquitetura de interiores. Isso porque acreditamos que ao descobrirmos a nossa essência e o que precisamos para viver, fica muito mais fácil acertar. Assim como na semana passada, trago outro projeto de mostra, com móveis soltos, Essa é uma tendência para resolver rapidamente os ambientes em qualquer lugar que se está, diante da mobilidade de vida que avistamos à frente. Mesmo com rapidez, o projeto deve ser bem pensado, e avaliado para que as aquisições sejam eternas.

Vamos lá,… hoje trouxemos um projeto da arquiteta Denise Barretto, também para uma mostra de móveis soltos, e mesmo assim veremos muita personalidade impressa, isso é casa de raiz para nós.

O quarto NATURAL, propõe o resgate de itens nostálgicos na ambientação, a história do morador. Um dormitório leve, repleto de aconchego, que reúne o clássico e o moderno com total harmonia. A presença da nogueira, madeira escura, usada nos anos 60, que volta com toda força. Com os nós em evidência e um tom escuro, ela encontra o equilíbrio nos elementos claros do decor, resultando em luminosidade no ambiente. Segundo Denise, “sua ambientação é feita tanto para quem deseja reviver as lembranças de outras épocas, quanto para aqueles que gostam do estilo vintage com toques de sofisticação”… essa é a raiz.

Veja as fotos do dormitório que em cada detalhe ressalta a alma natural no ambiente. Fotos: Rômulo Fialdini

Lindo e aconchegante, como o dormitório deve ser. E além disso expõe a essência contando uma história. Gosto muito e acredito nessa forma de projetar arquitetura de interiores.

#casaderaiz #casadeverdade #arquiteturadeinteriores #gentefeliz

Uma cozinha com a raiz do Design Italiano

Olá seguidores!

Hoje eu apresento uma cozinha veramente italiana.

Esta cozinha é uma referência a excelência do design italiano. Agregando tecnologia e detalhada para funcionar, traz um conceito que propõe a cozinha como o centro da casa.  Muitas atividades acontecem na cozinha, por isso tudo deve funcionar, e tudo pode estar oculto. Aparecendo a medida de sua necessidade. Com isso o visual clean ganha destaque. Isso proporciona uma cozinha bela, que neste projeto recebeu cores tendenciosas e acabamentos nobres.

O azul petróleo é uma cor que remete a natureza, e desperta a tranquilidade e o equilíbrio. Em tons escuro, traz a sofisticação para o ambiente funcional.

O amarelo simboliza a ruptura no projeto por ser uma cor que inspira e desperta a criatividade. Além de representar o calor, a luz e a alegria.

A cozinha italiana, há muito tempo é um lugar de descontração e reunião. Mas nos dias de hoje, precisa da setorização e funcionar. Este projeto resolve esta equação, com um ambiente arrojado e com raízes na história da cozinha, sem deixar de lado as necessidades da cozinha do futuro. Muito Italiano isso!

Este ambiente projetado pela arquiteta Patricia Palma, trouxe muitos detalhes de encher os olhos: O piso porcelanato, tem as marcas do tempo. A iluminação pontual em perfis de led desenham sobre o projeto, a luz. Os equipamentos super tecnológicos podem ser acionados com um simples toque. Tudo é muito leve e limpo, de fácil manutenção como a vida contemporânea exige. Além disso a arte e design fazem referência ao luxo no ambiente.

Agora, passeie pelas fotos.

Fotos: Eduardo Liotti

A cozinha e o design Italiano, estão bem representados nesta “Cucina“. Este projeto entra para nossa galeria por ter alma, conceito e memória envolvida.

#casaderaiz #arquiteturadeinteriores 

Escadas: Degrau por degrau de pura arquitetura e arte

Quem disse que a escada rima com monotomia? Na Mostra Elite Design, elas foram elaboradas para quebrar essa máxima. A cada degrau uma surpresa, que traz materiais nobres, e muita arte.

Conheça mais sobre os espaços:

A Escadaria Principal assinada pelas arquitetas Erika Muller Listo e Andréa Vianna, é um ambiente para ser vivenciado, sentido, compreendido e admirado, o local é mais que um cenário. A escada é um elemento funcional que, neste espaço, se torna algo acolhedor e convidativo, fazendo com que os visitantes percebam que eles são a razão do projeto. As obras expostas são da Gravura Galeria de Arte.

O espaço das arquitetas Tania Bertolucci e Carolina Nuernberg funciona como circulação entre o segundo e terceiro pavimentos da Mostra EliteDesign. Tem o papel de divulgar o trabalho de artistas gaúchos e de fora do Estado presentes no acervo da Galeria de Arte Galart.

A linguagem simples e iluminação específica proporcionam o destaque merecido para cada obra. Os destaques estão na luz e na geometria do forro. Cores impactantes e materiais cuidadosamente escolhidos estabelecem uma conexão de regionalidade e modernidade para os visitantes da mostra, divulgando cultura e conhecimento.

Ambientes que mostram que uma escadaria pode ser atraente e contar histórias. O capricho e o bom projeto desses ambientes mostram a criatividade do arquiteto ao projetar algo diferenciado e único. A escada na minha opinião é um dos ambientes mais difíceis de se trabalhar em uma mostra. A circulação não para até que o último ambiente esteja finalizado. E mesmo assim o trabalho desses escritórios foi impecável.

Parabéns!!! Eu adorei!!!

#ficadicasanova #souarquiteta

O profissional sabe o que faz. E você?

Olá seguidores, sempre bom tê-los por aqui.

Além de mostrar tendências, projetos e ambientes, nosso propósito é divulgar e promover tudo o que pode valorizar o profissional do segmento de arquitetura, design e paisagismo.  E hoje vou chamar a sua atenção, público em geral ou profissional para um detalhe super importante que podem significar, rever suas escolhas no processo de lapidação da sua casa.

No último dia 26, fui convidada em nome loja Idea Design, para visitar a fábrica de um fornecedor de cadeiras, e conhecer assim todo o seu processo fabril. Esse tipo de visita nos coloca em contato com o genuíno do processo para definirmos uma ideia sobre o mobiliário. Isso é muito bacana, pois assim conseguimos especificar o mobiliário com segurança e certeza de que conhecemos a marca.

Veja esta foto que captei no local:

Duas cadeiras. Uma da concorrência, comprada pelo fabricante, e outra fabricada por ele. Duas estruturas completamente diferentes. Uma delas super instável e com estrutura e vida útil, com data de validade. Outra, cuidadosamente estruturada para durar anos.

Agora eu pergunto: Elas podem ser comparadas? E os valores? Seriam os mesmos? Claro que não! Tem projeto, trabalho e compromisso envolvido. Tudo isso gera um valor agregado ao produto.

O profissional conhece, para especificar e argumentar com o seu cliente. Assim o processo se torna verdadeiro e excelente. Pense nisso!

O profissional é responsável pelo bom desempenho do projeto, especificações e sua execução. Ele pode garantir o sucesso de todo o processo, inclusive suas escolhas.

Escolha um bom profissional e logo, bons produtos. Esses investimentos valem a pena.

#ficaadica #ficadicasanova

Ambientes que valorizam o Remo(essência do clube) na Mostra Elite Design

Olá seguidores, que me acompanham… Vocês sabem que eu valorizo muito os conceitos por trás da arte, arquitetura e todas as criações. O conceito é a expressão que retratamos. Sem ele não faz sentido, criar. Ou melhor, é só uma combinação. Por isso quero destacar aqui dois ambientes que valorizaram a temática do local onde se insere a mostra, o Clube de Regatas Guaíba.

Vamos lá…

Os arquitetos Claudio Righi e DarianaTessari criaram o Passeio das ArtesJardim do Remo, pensando em conectar os visitantes à essência mais pura da mostra.

É um ambiente de integração, que liga fisicamente o acesso ao clube à entrada do evento. O público é convidado a interagir com o ambiente, por meio de uma passarela que instiga os sentidos com cores, sons e obras de arte. O objetivo é que, ao fim do caminho, as pessoas estejam mais leves, alegres e inspiradas.


 A arquiteta Marie Hellen Mafaldo Böttcher projetou o Studio do Remador.

Com conceito despojado e industrial, o local utiliza cores básicas, tons de concreto e iluminação intimista. A formulação do Studio é feita com a utilização de móveis no estilo loft e materiais de demolição, além de obras de arte e de colecionador.

Nestes ambientes podemos ver equipamentos, imagens, arte, adornos, e materiais que lembram o Remo, esporte que até hoje é praticado no clube.

Muito importante a arquitetura da Mostra Elite Design, ampliar para o grande público a história do Clube de Regatas Guaíba, esta é também uma função de se utilizar o espaço, valorizar as origens do local.

Parabéns aos arquitetos/profissionais que o fizeram.

Fotos: Eduardo Liotti

#ficadicasanova #mostraelitedesign