Dekton / Silestone Worshop

Então pessoal, o workshop estava maravilhoso! Muitas novidades!
Aconteceu na loja DUOCASA, que está linda, no bairro Bela Vista. Onde a Cosentino nos recebeu, e apresentou o produto Dekton, o qual tive oportunidade de conhecer no seu lançamento na última REVESTIR em São Paulo, e destacou os benefícios do produto.
Ele é bárbaro! Resiste á altas temperaturas, é porosidade zero e altamente prensado, ou seja maior resistência á riscos e manchas. Está no mercado em grandes formatos 144x320mm. Pode ser usado em fachadas, pisos, bancadas e lareiras. Suas cores variam, passando do preto, cinza e branco ao aço e mármore. É tendência na Europa, pois a empresa é Espanhola, e com certeza já é tendência também no Brasil.
Vamos usar e abusar!!!!!

                                              TONALIDADES disponíveis no Brasil

                                                                Aplicação em Fachadas

                                           

 
                                                     Padrão Aço Corten          AMEI!

       * Maior visualização dos produtos e aplicações no site WWW. Dekton.com.br

Iluminação do Home Chef

No Home Chef a iluminação se dá de várias formas:

Primeiro: Só temos iluminação embitida em um pequeno rebaixo que fizemos para esconder uma viga, onde também marcamos um eixo principal do projeto que sinaliza o elemento fogo no espaço ( lareira e torre de fornos). Aí a iluminação é com embutidos de dicróicas.
Segundo: Entre as ripas de madeira que caracterizam os brise no espaço, foi inserida iluminação de sobrepor com lâmpadas par 20, que pode ser também super Led.
Terceiro: temos uma laje rebaixada, onde também usamos luminárias de sobrepor, só que em alguns pontos usamos lâmpadas dicróicas (pontual) e em outros pontos par 20.
Existe ainda a adega, que iluminamos com uma fita de Led. Os pendentes de cristal marcam pontos de enfoque no projeto na mesa principal e nas mesas de apoio com iluminação incandescente e geral.

                                                             

                                                                 No rebaixo de Gesso

                                                                          Nos brises

                                                                      Na laje rebaixada

                                                                        Na Adega

                                                                 

                                                                    Nosso Patrocinador

Prêmio Casa Cor

Organização nota 10

Gostaria de agradecer á todos os meus fornecedores pelo empenho e comprometimento, na execução do nosso projeto para Casa Cor 2014, o HOME CHEF. Eu o Design Renato Cesar Ferrari, dividimos este prêmio com vocês! Muitíssimo Obrigada!

Piso Vinílico no Home Chef


Piso Vinílico

Este foi o piso escolhido para o nosso ambiente na Casa Cor 2014. O piso vinílico traz o aconchego do padrão madeira  e a funcionalidade de ser usado em áreas úmidas. União perfeita para ambientes que integram cozinha com sala de estar, como o Home Chef.  A instalação é muito fácil, pois o sistema click tem encaixe e não precisa de cola. Este é o AFRICAN da Beaulieu e que nos forneceu foi a 

Novidade…..

Olá,
amanhã farei mudanças na imagem do meu blog. Vou aprimorar para que vocês que me acompanham, consigam interagir e permanecer mais em contato.
Aguardem……
Ah, e a partir da semana que vem, começarei mostrar alguns detalhes do meu ambiente na Casa Cor, com a descrição sobre os mesmos e o parceiro que executou. Estarei também divulgando seus contatos.
Abraços e bom final de semana.

Recebi um imóvel, e agora?

Quando se trata de nossa casa, todo o cuidado ainda é pouco, pois é o lugar onde precisamos nos sentir melhor……Ela deve estar preparada para nos receber.. e nos acolher!
Por isso é importante que a sua elaboração, seja a sua concepção ou sua ambientação, deve ser muito bem estudada, afim de atingir todos os objetivos do morador.
Quando recebemos um imóvel, ou adquirimos um para reforma, surge aquela dúvida…e agora? Por onde eu começo? Você até sabe o que quer, mas como fazer? E os erros prováveis? Esta não é sua área!!!!
Então o que eu posso dizer como profissional….É muito complicado fazer isto sozinho.
De outra coisa tenho certeza, se você contratar um profissional, além de ficar mais fácil, vai ficar mais barato e muito melhor o resultado. Com a minha experiência posso dizer:
O valor investido com o profissional, se paga.
Você vai ter com que dividir seus anseios, suas dúvidas, confidenciar seus investimentos e poder decidir o que será prioridade naquele momento. E isto é muito importante pois terás neste período, muita coisa para pagar e resolver….inclusive questões técnicas, que com o menor erro pode lhe causar grandes prejuízos.
Portanto fica a dica, invista em quem entende deste ” negócio”. E terá êxito!
O planejamento é a chave para o sucesso em qualquer área!

Fonte: Site do CAU/ RS

6 dicas para contratar um arquiteto
-+
A escolha de um arquiteto é determinante para a satisfação final de sua obra. Para tomar a melhor decisão, o portal Arquitetura e Urbanismo para Todos montou uma espécie de guia de questões a se considerar na hora de contratar e que podem te ajudar a escolher o profissional mais adequado para as suas necessidades. Tenha em mente:
1) Reflita sobre o que você precisa em sua construção.
O primeiro sinal de que você precisa de um arquiteto vem com perguntas assim: “Quero construir uma casa, mas como é a casa que eu preciso?”; “Como saberei qual a melhor decisão tomar?”; “Quanto devo gastar?”; “Que tipo de imprevistos estou arriscado a ter?”; “Terei dinheiro para tudo isso?”. Quando tiver em mente as suas expectativas, contrate um arquiteto. Ele vai te ajudar a transformar isso em uma proposta, que é a base de qualquer projeto.
2) Faça uma lista de candidatos.
Para fazer a seleção, o ideal é conversar com conhecidos que já trabalharam com esse tipo de serviço ou contate arquitetos de obras com as quais você se identifica. Se ainda assim não tiver uma ideia, tente os sindicatos de seu estado e as associações de arquitetos e urbanistas.
Assim que tiver uma lista de prováveis candidatos, a primeira coisa que se deve fazer é checar se eles possuem registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo de seu estado. O CAU/BR possui uma ferramenta online para fazer essa checagem. Basta clicar na guia “Buscar profissional/empresa”. Lembre-se, só diploma não basta, somente arquitetos e urbanistas registrados no CAU podem exercer a profissão no país.
3) Visite as obras que ele já fez.
Arquitetos possuem portfólios para mostrar seu trabalho. Hoje em dia a maioria expõe seus projetos na internet. Leve isso em consideração na hora de avaliar quem tem o perfil mais próximo do que você precisa, mas não fique só na internet ou no papel. Visite, se possível, as obras dele e avalie sua qualidade.
4) Arquiteto é o seu primeiro representante. Use isso a seu favor.
Tudo que envolve intenção, projeto e planejamento precisa de um arquiteto desde o início. Quanto antes você envolvê-lo na sua obra, maior leque de atuação ele terá. O arquiteto é a pessoa mais indicada para representar os interesses do cliente, pois pode debater com os executores da construção quais são as melhores soluções possíveis e adequadas para cada caso. Engenheiros e mestres de obras são ótimos profissionais para pensar o processo de construção, mas a função que ela irá exercer depois de pronta depende de uma visão global e crítica que passa pela habilidade específica dos arquitetos.
Como representante dos seus interesses, o arquiteto é o primeiro a ter preocupação com a qualidade final do resultado da obra e com a sua satisfação em relação a ela. Ele é a pessoa mais indicada para supervisionar todo o processo e garantir que tudo seja encaminhado conforme decidido no projeto.
5) Não comece sua obra sem ter um projeto pronto.
Gastar dinheiro para economizar dinheiro é uma das melhores maneiras para otimizar seus recursos. “Arquitetura é um serviço de luxo” é apenas um mito muito propagado e por isso acaba se tornando uma falsa verdade. Construções não são apenas a obra, são também a manutenção futura que ela exigirá. Cada centavo gasto com os honorários do seu arquiteto retornam, seja em tempo economizado, melhor qualidade dos materiais ou a adequação da sua construção. Projetos geralmente custam de 2% a 15% do valor total do empreendimento. Por outro lado, construir sem projeto e ter de construir de novo é uma dor de cabeça que pode multiplicar o valor da obra.
 6) Na hora de definir o orçamento consulte a tabela do CAU
O CAU possui uma tabela  de honorários para nortear os valores para cada atividade envolvendo o trabalho dos arquitetos e urbanistas. Ao acessá-la você precisará se cadastrar. Os honorários podem ser pagos ao final de cada uma das fases do projeto e do empreendimento. Quando maior a complexidade, mais fases e mais reuniões de aprovação a obra demandará. Os preços dos serviços arquitetônicos podem variar muito, dependendo da experiência e especialidade do arquiteto, mas a tabela é muito útil para quem nunca contratou esse tipo de serviço poder negociar esses valores de maneira justa e transparente.

Para mais dicas sobre como contratar um arquiteto, consulte e faça o download da cartilha feita pela Federação Brasileira de Arquitetos (FNA) e pelo Sindicato dos Arquitetos do Estado do Rio Grande do Sul (SAERGS).

Hoje abre a Casa Cor 2014 em Porto Alegre

Hoje o público pode começar apreciar os ambientes que foram cuidadosamente projetados e ambientados, para mostrar as tendências na arquitetura e decoração no estado. A partir das 15h de terça á quinta e das 12h na sexta, sábado , domingo e feriado, sempre até as 21h. Na Rua Carlos Trein Filho, 900.

A mostra está belíssima, vale a pena conferir. Ingressos R$ 30,00. 
O fone para maoires informações é 3012 0075.
Aguardo vocês no Home Chef – ambiente 34.

Como aproveitar a visita na Casa Cor 2014

A maior mostra de arquitetura e decoração do estado, inaugurou ontem e estará aberta á visitação de 29/07 á 28/09/2014. E como aproveitar a visitação sem deixar escapar nenhum detalhe? É isto que vamos abordar….Se você atua nesta área, está recebendo um imóvel, quer reformar, ou simplesmente gosta deste tema, presta atenção nas dicas:
– Ao chegar…..a fachada deve ser observada, pois é projetada por um profissional e este ano tem como tema a sustentabilidade;
– A Bilheteria, também faz parte do circuíto e é criada especialmente para atender o visitante com funcionalidade.( O ano passado EU  e o Arq. Daniel Moraes projetamos, construímos e ambientamos a Bilheteria da Mostra);
Este ano tem 4 casas divinamente ambientada; é importante ficar atenta á indicação do fluxo de visitação para não deixar de visitar algum ambiente;
– Nos espaços, preste atenção no teto, nas texturas e cores das paredes (há indicação da cor da tinta Renner parceira da mostra); na iluminação, na disposição de mobiliário, nos detalhes e funcionalidade dos móveis, nas tonalidades e acabamentos dos mesmos,nos móveis soltos, nos adornos, no piso, no tapete, no som e imagem, nos equipamentos e suas tecnologias, nas inovações que os ambientes possam ter, nas obras de arte, na vegetação, no cheiro (muitos tem perfumes personalizados), em fim até nos pequenos detalhes….
Perceba todo o espaço numa visão geral e tente perceber qual foi a intenção principal do profissional, qual o impacto que ele quis causar em você, o visitante, pois fizemos o espaço para você e causar uma sensação em você, é um ponto fundamental do projeto.
Faça esta observação em cada ambiente, e veja no final qual lhe encantou mais….
– Observe quem é o profissional de cada ambiente e qual a sua formação;
– Em cada espaço tem um quadro de agradecimento, atente-se para a foto que foi tirada do ambiente ANTES da intervenção, e veja quanta diferença. Nele também constam os apoiadores, os quais foram muito importante para que aquele ambiente acontecesse.
– Por fim se quiser deixe um recado, se no ambiente tiver um bloco para colocar seu recado.
– Se puder, leve uma revista da mostra, que você adquire na Bilheteria junto com o ingresso ou nos pontos de venda durante à mostra;
– Ah….os espaços externos e funcionais (sanitários, restaurante, café, loja, lounge etc.) também foram projetados e fazem parte do circuíto.
– Enfim…..relaxe, observe e absorva! E boa visitação.

Texto: Arq. Hellen Zanoletti Fimino – Ambiente 34 – Home Chef

Norma de Desempenho das Edificações

Esta norma da ABNT que entrou em vigor no dia 19/07/2014, serve de parâmetro para indicar como as construções devem se comportar ao longo do tempo. Ele define que o proprietário deve gerir seu imóvel por  meio de manual de uso, e todas as intervenções que serão feitas após o recebimento do imóvel pelo proprietário, pode influenciar na sua garantia em caso de problemas futuros. Por isso é muito importante estar atento quem recebe imóveis depois desta data, exija que seu imóvel esteja adequado estas normas, pois será importante no decorrer do uso. E se precisar fazer qualquer intervenção no imóvel, informe-se o que será de sua responsabilidade. E sempre que houver intervenções procure um profissional habilitado para auxiliá-lo, pois esta ação está diretamente relacionada com a garantida do seu imóvel..

Saiba mais com as informações abaixo e se precisar acesse a norma na íntegra.
Fonte: Câmara Brasileira da Indústria da Construção

CBIC :: ABNT publica Norma de Desempenho 15.575– Desempenho de Edificações Habitacionais
ABNT PUBLICA NORMA DE DESEMPENHO 15.575– DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS
Enviado por Sandra Bezerra, qua, 20/02/2013 – 14:28
Foi publicada nessa terça-feira, 19 de fevereiro de 2013, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT NBR 15.575 – Desempenho de Edificações Habitacionais, mais conhecida como Norma de Desempenho.  A Norma passa a vigorar no dia 19 de julho de 2013, ou seja, após 150 dias da sua publicação, podendo ser exigida a partir desta data nos projetos que forem protocolados para aprovação nos órgãos públicos.

Para a engenheira e assessora técnica da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Geórgia Bernardes, trata-se de uma Norma de grande importância que cria um marco regulatório no setor da construção civil. “A publicação da NBR 15.575 ocorre em momento oportuno para o mercado da construção civil, o de sustentação do crescimento verificado nos últimos anos com agregação de valores imprescindíveis aos nossos imóveis, como segurança, qualidade e conforto”, explica Bernardes.

A Norma de Desempenho tem um grande potencial para nortear tecnicamente o mercado e induzir a uma melhoria da qualidade das construções. Ela introduz ou reforça novos conceitos, como desempenho acústico, desempenho térmico e vida útil. É a primeira norma a definir, pela primeira vez, como um edifício deve se comportar ao longo do tempo para atender as expectativas dos usuários (conforto e segurança no uso), conceitos já aplicado há muito tempo nos países desenvolvidos e que agora, com a sua vigência, passarão a ser implementados também no Brasil.

É consenso entre especialistas que a Norma vai trazer, de fato, muitos avanços a toda a cadeia da indústria da construção e estabelecerá uma relação de co-responsabilidade entre projetistas, fabricantes, construtores, incorporadores e consumidores, criando uma linguagem unificada e transparente dentro da cadeia produtiva.

Para Renato Correia, da Vega Construtora, que participou da Comissão de Estudos da Revisão da Norma de Desempenho da ABNT, sob a ótica do consumidor, a Norma é um balizador sem precedentes no Brasil para avaliação qualitativa (desempenho) das edificações, pois fornece parâmetros técnicos para vários requisitos importantes, dentre eles: acústica, transmitância térmica, durabilidade e manutenibilidade, os quais, antes desta Norma, não eram definidos nem possíveis de ser mensurados e comparados a um padrão. “Além disso, a Norma de Desempenho remete, em vários momentos, que o usuário deverá gerir a sua edificação por meio da utilização do manual de uso e operações e do procedimento para manutenções em edificações, ou seja, estes instrumentos estabelecerão como deverão ser feitos e registrados os serviços de manutenção e operação do edifício para que a vida útil de projeto do mesmo possa ser alcançada”, diz Correia, acrescentando que outra vantagem para o consumidor está no fato de poder escolher entre produtos de desempenho “mínimo”, “intermediário” ou “superior”, sendo que estes níveis de qualidade são definidos pela Norma.

O engenheiro e professor doutor do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Ercio Thomaz, que também fez parte grupo de Revisão da Norma, entende que para a pessoa física ou jurídica que adquirir um imóvel a Norma de Desempenho parametrizará características da edificação, permitindo confrontar de forma mais objetiva qualidade prometida com qualidade fornecida. “Construtoras, incorporadoras, diretores de marketing e corretores de imóveis deverão ter muito mais cuidado ao anunciarem ‘janelas acústicas’, ‘pisos antiderrapantes’, ‘fachadas autolimpantes’, ‘cobertura térmica’, ‘instalações com magnífica durabilidade’ e outros jargões, todos passíveis de serem qualificados ou quantificados”, comenta.

Outro fator importante relacionado à Norma, segundo a assessora técnica do Sinduscon-MT, a engenheira Sheila Mesquita, é que ela impulsionará a melhoria da qualidade das construções e servirá de instrumento para o usuário comparar os desempenhos das edificações oferecidas pelo mercado imobiliário. Renato Correia compartilha da opinião de Sheila e complementa que “quando há clareza nos papeis dos agentes de qualquer cadeia, as possibilidades de acertos no processo e produto final aumentam consideravelmente.”

Felizmente, a Norma de Desempenho também vai impulsionar o desenvolvimento tecnológico, o estímulo à inovação, que se faz tão importante neste momento de crescimento do setor e do Brasil. Para a assessora técnica da CBIC, Geórgia Bernardes, a inovação tecnológica pode aumentar a produtividade das empresas e torná-las mais competitivas. “O Governo Federal, as Universidades e também a iniciativa privada devem investir em laboratórios que possam testar novos produtos, materiais, processos. Hoje existem poucos no País e a demanda deve crescer bastante nos próximos anos”, afirma.

Questionados em relação aos desafios para o atendimento da Norma, os especialistas têm diferentes respostas. “O primeiro e maior desafio de qualquer Norma é o Cultural. Para romper este paradigma e mergulhar na leitura, conhecimento e implementação da Norma, é preciso evidenciar que a utilização da mesma trará um benefício aos atores da cadeia produtiva”, acredita Renato Correia.

Já a engenheira Sheila diz que um grande desafio é o próprio desconhecimento do setor sobre a responsabilidade no atendimento de Normas. Norma não é lei, mas tem caráter obrigatório em função de artigo do Código de Defesa do Consumidor que coloca como prática inadequada a colocação no mercado de produto ou serviço em desacordo com as normas técnicas. “ Há também falta de laboratórios acreditados para realização dos ensaios estabelecidos na Norma”, acrescenta. O engenheiro Ricardo Pina, que foi relator da revisão da parte 5 da Norma, que diz respeito aos sistemas de cobertura, concorda e diz que deve existir conhecimento e consciência de quem contrata, em qualquer parte da cadeia para a Norma ser implantada e consolidada de vez.

Para o professor Ercio Thomaz, a primeira barreira para o atendimento à Norma é despertar a conscientização e a motivação do meio técnico e produtivo. A segunda é compatibilizar de certa forma as exigências para os diferentes setores e diferentes regiões brasileiras. De alguma forma, segundo ele, essas barreiras já foram vencidas, mas afirma que o conservadorismo de alguns será vencido quando começarem a perder mercado, pois a Norma instrumentalizará o consumidor brasileiro que se tornará mais exigente a cada dia. “Ressalve-se que muitos incorporadores e muitas construtoras já atendem praticamente a todas as exigências da NBR 15.575, considerável diferencial para ampliação de mercados. O corolário virá quando as companhias públicas de habitação passarem a exigir total cumprimento da Norma, o que, para o bem da cidadania, parece ser tendência irreversível”, comemora.

Guia Orientativo
A CBIC, com o patrocínio do Senai, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federl, e da empresa Geo-Gestão Imobiliária, lançará, no próximo mês de abril,  um Guia Orientativo para atendimento à Norma de Desempenho. O principal objetivo do Guia é facilitar o entendimento por meio de resumo, simplificação e adaptação da linguagem para coordenadores de obras e de projetos, técnicos, engenheiros, arquitetos, empresários (construtores e incorporadores), estudantes e agentes da cadeia produtiva das principais definições sobre o tema desempenho (requisitos, critérios, vida útil etc).

A CBIC entende que o Guia é uma contribuição fundamental para a disseminação e implementação da Norma de Desempenho, ajudando inclusive a reduzir ou mesmo eliminar a insegurança ou passivos jurídicos no que diz respeito ao atendimento às normas técnicas.

Para adquirir a ABNT NBR 15.575 basta entrar no site da Associação Brasileira de Normas Técnicas (www.abnt.com.br) e fazer a compra ou entrar em contato no 11 3017-3652.